Projeto ‘Bombeiro Mirim’ na fronteira tem quase 100 jovens inscritos

Alexandre Lima, com Agência

IMG_1840

O projeto desenvolvido pelo Governo do Acre, tem quase 600 inscritos. Nas cidades de Brasiléia e Epitaciolândia na fronteira do Acre, são quase 100 jovens que se inscreveram onde visa uma maneira de aproximar mais da sociedade, os levando para uma boa conduta, além de os tirar da possibilidade de mergulharem no mundo das drogas, da prostituição e de outros males.

Sob a supervisão do Sargento Bombeiros Marinho, os alunos vem recebendo aulas práticas e teóricas. O objetivo é que todos aprendam a olhar o próximo sem distinção alguma e cuidem do patrimônio público, além de outras responsabilidades.

O curso tem previsão de duração de 10 meses. Neste período os bombeiros-mirins recebem uniformes, aprendem sobre respeito, conduta, companheirismo, ordem, natação, primeiros-socorros, salvamento em altura, educação de trânsito e outras atividades, tudo em ações e linguagem específicas para a juventude.

Segundo o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Pires, o projeto já atingiu mais de mil famílias no Acre, com apoio da Secretaria de Estado de Educação e Esporte, Polícia Civil e outras instituições.

O projeto Bombeiro-Mirim nasceu em 2010, em Cruzeiro do Sul, idealizado pelo major Moisés, então comandante do 4º Batalhão de Educação, Proteção e Combate a Incêndio Florestal (Becif), com uma turma de 45 estudantes. Reconhecida sua importância, logo recebeu o apoio do comandante do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Pires, e do governador Tião Viana, para sua ampliação. Hoje, segundo o major, o projeto já está em seis municípios: Cruzeiro do Sul, Rio Branco, Sena Madureira, Tarauacá, Brasileia, Epitaciolândia e Rodrigues Alves.

Comentários