Projeto Poronga forma 916 alunos em seis municípios

Alunos que realizaram sonhos ao receber seus diplomas - Fotos: Assecom
Alunos que realizaram sonhos ao receber seus diplomas – Fotos: Assecom

Após formar mais de mil alunos na capital, a equipe do Projeto Poronga encerrou na última terça-feira, 15, as cerimônias de formatura nos municípios de Tarauacá, Epitaciolândia, Brasileia, Feijó, Sena Madureira e Cruzeiro do Sul, que contaram, no total, com mais de 900 alunos formados pela ação educacional.

O principal objetivo do Poronga é reduzir a distorção idade/série, contribuindo para que os estudantes tenham chances de alcançar novas conquistas pessoais e educacionais, colaborando para a elevação do Estado ao permitir às pessoas que foram privadas da oportunidade de estudar concluir seus estudos.

Entre as pessoas que o Projeto Poronga auxiliou no retorno à sala de aula, está o aluno Juniel dos Santos Dantas, de Feijó. Atualmente com 19 anos, viveu grande parte de sua infância no seringal, e, por causa de um acidente, precisou ter uma das pernas amputadas. “Uma das maiores dificuldades para mim é a acessibilidade, mas, vendo onde estou agora, consigo perceber o quanto venci e o quanto ainda posso vencer”, disse Juniel.

A equipe do Projeto Poronga encerrou na última terça-feira, 15, as cerimônias de formatura nos municípios de Tarauacá, Epitaciolândia, Brasileia, Feijó, Sena Madureira e Cruzeiro do Sul (Foto: Assessoria SEE)
A equipe do Projeto Poronga encerrou na última terça-feira, 15, as cerimônias de formatura nos municípios de Tarauacá, Epitaciolândia, Brasileia, Feijó, Sena Madureira e Cruzeiro do Sul (Foto: Assessoria SEE)

A mesma sensação de conquista também foi vista no formando Francisco de Assis Alves, de Tarauacá. Tendo que ajudar desde cedo o pai a garantir o sustento da família, pensava ser praticamente impossível conseguir voltar a estudar. Segundo ele, “graças ao apoio dos professores e da equipe, pude ver que ainda não é tarde para realizar meus sonhos”.

Representando a Secretaria de Estado de Educação e Esporte (SEE), Daniel Zen agradeceu o esforço dos profissionais envolvidos na atuação do Poronga em todo o Estado: “Além do esforço dos alunos, o incentivo dos professores e dos diversos educadores envolvidos no projeto, é de fundamental importância para a permanência dos estudantes, permitindo que eles alcancem novas perspectivas na vida”.

Daniel Zen agradeceu o esforço dos profissionais envolvidos na atuação do Poronga (Foto: Assessoria SEE)
Daniel Zen agradeceu o esforço dos profissionais envolvidos na atuação do Poronga (Foto: Assessoria SEE)

Sobre o Poronga

Foi criado em 2002 pela SEE, em parceria com a Fundação Roberto Marinho, com o objetivo de corrigir a distorção idade/série e proporcionar uma educação no qual o aluno seja capaz de exercer sua cidadania de forma produtiva.

O projeto expandiu seu atendimento no ano de 2008 em dez municípios do Estado: Cruzeiro do Sul, Tarauacá, Feijó, Sena Madureira, Brasileia, Xapuri, Epitaciolândia, Senador Guiomard, Bujari e Plácido de Castro. Nesses municípios funcionaram 600 telessalas, onde foram atendidos mais de 19 mil estudantes, com 600 profissionais (professores e supervisores) capacitados nas formações em serviço. Atualmente, o Poronga abrange os seguintes municípios: Rio Branco, Sena Madureira, Cruzeiro do Sul, Tarauacá, Feijó, Brasileia e Epitaciolândia.

Comentários