Regional do Alto Acre quer comercializar cerca de 10 toneladas de peixe em três dias

Seaprof em parcerias com Municípios, associações e criadores estarão vendendo peixes na Praça Ugo Poli

Alexandre Lima

Secretário da Seaprof, Lourival Marques (esq), juntamente com o vice-prefeito e secertário de agricultura de Brasiléia, durante encontro - Foto: Alexandre Lima
Secretário da Seaprof, Lourival Marques (esq), juntamente com o vice-prefeito e secretário de agricultura de Brasiléia, durante encontro – Foto: Alexandre Lima

Um projeto piloto e ousado lançado pela Secretaria de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), em parceria com as prefeituras do Alto Acre, poderá ser um dos grandes eventos que acontecerá todos os anos, em data que antecede a Semana Santa.

Estiveram presente no encontro ocorrido na tarde desta terça-feira (19), o vice-prefeito Jorge da Fazenda, o secretario municipal de agricultura Reginaldo Guerra, produtores e criadores de peixes, sindicato e associações de Brasiléia, vereadores e Lourival Marques, Secretário de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar do Acre – (Seaprof).

Durante três dias, de 25 à 28 de março, na Praça Ugo Poli, será oportunizado espaço de comercialização direta entre consumidor e o produtor de peixe das cidades de Brasiléia, Assis Brasil, Epitaciolândia e Xapuri, onde será gerado renda.

Produtores, sindicatos, vereadores e representantes do Municipio e Estado firmaram grande parceria para o evento - Foto: Alexandre Lima
Produtores, sindicatos, vereadores e representantes do Municipio e Estado firmaram grande parceria para o evento – Foto: Alexandre Lima

Também será criado uma rodada de negócios e crédito, regularização do trabalho e fazer com que a cultura de comer peixe, seja aumentada na regional. Um dos principais mercado a ser alcançado, será os países vizinhos como a Bolívia e Peru, grandes compradores e consumidores de pescado.

Para o secretario Lourival Marques, a não presença do ‘atravessador’, será um grande ganho para todos, tanto o produtor quanto o consumidor que poderá comprar peixe com preços mais baixos. Esse exemplo já pode ser visto na Capital e em outros municípios do Estado.

“Esse peixe que vai ser comercializado, é resultado de um trabalho que vem desde 2011, com a criação de 2500 tanques/criadouros. Esperamos comercializar cerca de 10 toneladas nos três dias da feira”, disse Lourival Marques.

Veja vídeo-reportagem abaixo.

67032_180723118742372_2106600141_n

Comentários