Ronco pode causar mais ataque cardíaco que fumo ou obesidade

Pesquisa mostra que quem ronca desenvolve anormalidades na artéria carótida, o que leva ao endurecimento e consequente infarto
Estima-se que 40% dos homens e 24% das mulheres roncam

Cerca de 40% dos homens e 24% das mulherem roncam Marcelo Theobald / Agência O Globo
Cerca de 40% dos homens e 24% das mulherem roncam Marcelo Theobald / Agência O Globo

RIO – Pessoas que roncam podem estar em maior risco de ataque cardíaco e derrame que os fumantes, obesos ou com colesterol alto. Cerca de 40% dos homens e 24% das mulherem roncam.

Uma pesquisa surpreendente revelou que aqueles que roncam têm mais probabilidade de desenvolver um espessamento ou anormalidades na artéria carótida que alimenta o cérebro. Esta condição é anterior ao endurecimento das artérias, o que leva a ataques cardíacos e hemorragias cerebrais.

— Pacientes que roncam precisam de tratamento da mesma maneira que os que têm apneia, pressão alta ou outros riscos cardiovasculares — diz o coordenador do estudo, Robert Deeb, do Hospital Henry Ford, em Detroit, nos EUA.

A pesquisa, apresentada em um recente encontro no Arizona, mostra que a pulsação do ronco provavelmente causa traumas e inflamações na artéria carótida.

Para o estudo, Deeb acompanhou 54 pessoas entre 18 e 50 anos, nenhum com apneia do sono. Todos preencheram um questionário sobre o ronco e tiveram um ultrassom medindo o espessamento da carótida.

O Globo

 

Comentários