Seaprof recebe comitiva boliviana que busca apoio e capacitação no setor produtivo

Representantes do governo estadual e da Bolívia se reúnem para tratar de parcerias (Foto: Terezinha Moreira/Seaprof)
Representantes do governo estadual e da Bolívia se reúnem para tratar de parcerias (Foto: Terezinha Moreira/Seaprof)

A integração se realiza em todas as áreas da atividade humana, um exemplo é a área de produção. Lourival Marques, secretário de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), participou na manhã desta quarta-feira, 17, de reunião com uma comissão da cidade de Pando, Bolívia. Os representantes do governo daquela região buscam firmar acordos para estender as ações do governo acreano ao país vizinho.

O governador Tião Viana tem interesse em que ações sejam estendidas a esses países. Ainda em 2012, durante evento que reuniu dirigentes dos países de fronteira do Acre para buscar soluções em conjunto e superar desafios, foi identificada a necessidade da cooperação técnica, para reduzir a difícil situação de baixa perspectiva de desenvolvimento sustentável nos países vizinhos.

Para o assessor do governo de Pando, Pedro Villa, a expectativa de firmar acordos no setor produtivo entre Acre e Pando é grande, pois, segundo ele, o Brasil é uma potência tecnológica com pessoas capacitadas nesta área. O assessor disse ainda que existe uma integração verdadeira entre o governo de Pando e o governo do Acre, o que está faltando é apenas firmar um termo de cooperação na área produtiva.

Segundo o secretário Lourival Marques, será feito um acordo com a área técnica da Secretaria de Agricultura da Bolívia, para transmitir informações sobre o setor agrícola. “Para o Acre é importante esse tipo de ação, pois a Bolívia é um potencial mercado consumidor” acrescentou.

Segundo a comitiva boliviana, o país precisa de apoio técnico e capacitação em três áreas: piscicultura, recuperação de áreas degradadas e no cultivo da seringueira. “Precisamos de apoio, pois a segurança alimentar é prioridade para o governo boliviano, e acredito que também para o brasileiro. Queremos produzir peixes para o mercado local e também vender para o mercado acreano, e vender o látex de nossas seringueiras para a fábrica de preservativos Natex”, enfatizou Villa.

Jair Santos, assessor especial da Secretaria de Desenvolvimento Florestal, da Indústria, do Comércio e dos Serviços Sustentáveis (Sedens) também participou da reunião e disse que a Sedens irá atuar em parceria com a Seaprof na cooperação técnica.

Comentários