Sebastião Viana anuncia demissão de mais de 500 cargos comissionados

Governador do Acre, Sebastião Viana - Foto: Alexandre Lima/arquivo
Governador do Acre, Sebastião Viana – Foto: Alexandre Lima/arquivo
As informações são do ac24horas.com

Sebastião Viana vai cortar de uma só vez 545 ocupantes de cargos comissionados. O anúncio foi feito pelo próprio governador por meio de um vídeo gravado em seu gabinete na Casa Rosada.

O governador deu a informação ao lado do secretário de Fazenda, Joaquim Mansour, o Tinel, e de Sawana Carvalho, de Gestão Administrativa. Sebastião Viana justifica, como antecipara o ac24horas nesta segunda-feira, que os cortes ocorrerão para garantir o pagamento em dias dos salários dos servidores efetivos do Estado.

“Nós decidimos cortar 545 cargos em comissão e de função comissionada dentro governo numa demonstração da necessária redução de despesas pra tentar manter aquilo que é o mais sagrado para a vida econômica continuar se mantendo impulsionada pra que nós não abaixemos a cabeça, que é o salário dos servidores públicos em dia.”
O governador justificou ainda que a crise econômica e o corte de repasses federais para o Estado, na ordem de R$ 300 milhões, o obrigou a tomar a medida.

“Diante desse momento delicado da vida econômica brasileira, da vida administração pública brasileira, quando o governo federal decidiu reduzir os repasses para os Estados e somente o Acre este ano terá perdido R$ 300 milhões. Diante da grave crise previdenciária dos Estados brasileiros”, disse.

No último domingo, 16, o governador reuniu a sua equipe economica para definir o impacto financeiro das demissões e também definir um plano para saber quem serão os cortados. Até o momento, não existe uma lista pronta, mas ela deverá se montada ainda esta semana.

O anuncio das demissões seria feito em coletiva de imprensa nesta segunda, mas de última hora o governador precisou viajar para Brasília, onde cumpre agenda nos ministérios do governo federal.  Como preocaução, os assessores de Sebastião resovleram gravar um video caso não fosse possível a coletiva.

Comentários