Sindicalistas do Acre vão a Brasília pedir proteção a servidores sem concurso

Adaílson Oliveira, da TV Gazeta

Essa é a primeira vez no Acre que as Centrais de trabalhadores se unem com um único objetivo: evitar a demissão de servidores que não são concursados.

CUT, Força Sindical e Central dos Trabalhadores querem unir forças para contrapor uma decisão do Supremo Tribunal Federal. A corte suprema decidiu pela demissão dos servidores públicos que entraram desde 1983 sem concurso público.

De acordo com os sindicalistas, a medida vai atingir 4.800 servidores da Educação, 3.600 da Saúde, 600 da Polícia Civil e outros pequenos grupos espalhados pelas mais diversas secretarias.

Nesta terça-feira, 21, as centrais vão se reunir em frente ao prédio da Assembleia Legislativa e ajudar a montar o comitê contra as demissões. A programação inclui até uma viagem a Brasília para mostrar ao Congresso Nacional o prejuízo que será para milhares de famílias se as demissões forem mantidas.

A medida deveria atingir os trabalhadores que foram contratados sem concurso público a partir da constituição em 1988. Mas o período retroage para 1983, atingindo um número maior de trabalhadores.

Comentários