Sindicalistas promovem ato em apoio aos 11 mil servidores

Sindicalistas provem ato nesta terça-feira, 21, em favor dos 11 mil servidores do Estado que correm risco de demissão (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
Sindicalistas provem ato nesta terça-feira, 21, em favor dos 11 mil servidores do Estado que correm risco de demissão (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

Nayanne Santana

Os 11 mil servidores públicos que estão sendo afetados pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) ao declarar inconstitucional a contratação no período entre 1983 e 1994 estão sendo convocados pelas lideranças sindicais da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Força Sindical e sindicatos filiados para participar de um ato público em frente ao Palácio Rio Branco, às 9h, nesta terça-feira, 21.

“Será uma grande ato em solidariedade e pela defesa e permanência desses 11 mil servidores em seus empregos”, declarou o presidente da CTB, José Chaves.

Chaves observou que o serviço público no Acre foi construído por esses servidores que podem ser demitidos com a decisão do STF.

Chaves observou que o serviço público no Acre foi construído por esses servidores (Foto: Gleilson Miranda/Secom)
Chaves observou que o serviço público no Acre foi construído por esses servidores (Foto: Gleilson Miranda/Secom)

“São mais de 4 mil servidores na área de Educação, mais de 3 mil servidores na área de Saúde, são mais de 600 servidores da Polícia Civil. Então, diante disso, se o Estado for obrigado a afastar esses funcionários o Estado vai parar. Vai gerar um caos”, adverte o líder sindical.

José Chaves diz que a luta agora será para auxiliar o governo do Estado para que consiga, junto ao Supremo, medidas judiciais que suspenda à demissão desses funcionários públicos. Chaves frisa que o concurso público não seria uma forma de resolver isso tendo em vista que há servidores que estão com 20 ou 25 anos de serviços, não tiveram formação acadêmica e, portanto, ficariam impedidos de participar de um certame.

“Teremos aproximadamente 44 mil pessoas atingidos por essa medida do Supremo e isso nos preocupa muito. Por isso, nós convidamos todos os servidores a participarem desse ato”, finalizou o líder sindical.

Comentários