Tião Viana entrega novos leitos de UTI e ambulâncias traçadas

O governador Tião Viana, entregou os novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Foto: Sérgio Vale/Secom)
O governador Tião Viana, entregou os novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Foto: Sérgio Vale/Secom)

O Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb) viveu um dia de festa. O governador Tião Viana, ao lado da secretária de Saúde, Suely Melo, entregou os novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), um novo centro cirúrgico e seis ambulâncias traçadas para o atendimento móvel. Agora são 17 leitos e quatro salas de cirurgia, além de uma sala de recuperação pós-anestesia.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, não pode comparecer à inauguração devido aos compromissos em Brasília, mas, por telefone, falou aos presentes da alegria de ampliar o serviço de saúde no Acre e do compromisso do governo da presidenta Dilma Rousseff em diminuir o tempo de espera nas filas. “Há um recurso específico para isso e o Acre é um exemplo na utilização dele ao realizar mutirões de cirurgias eletivas e outras estratégias para melhorar o atendimento à população. Este é mais um passo no esforço de tornar o Acre um dos melhores lugares para se viver na Amazônia”, disse o ministro.

Tião Viana falou do esforço em implementar o serviço (Foto: Sérgio Vale/Secom)
Tião Viana falou do esforço em implementar o serviço (Foto: Sérgio Vale/Secom)

Tião Viana falou do esforço em implementar o serviço, que vai onerar em R$ 16,2 milhões anuais o custeio com a saúde, somente com as unidades de terapia intensiva da Huerb, sem contar a manutenção de cada sala do centro cirúrgico, que custou R$ 500 mil para ser implementada.

A mão do médico é o coração de Deus. Os 18 leitos de UTI, os centros cirúrgicos, as ambulâncias traçadas, tudo isso significa que agora a medicina pode funcionar plenamente

Governador Tião Viana

“Este é o nosso desafio cotidiano em oferecer uma saúde com dignidade ao nosso usuário. E temos nos esforçado. Em São Paulo uma pesquisa feita com 11 hospitais privados mostra que o tempo de espera para atendimento em pediatria é de seis horas. No Acre são duas horas. Temos cirurgias de hérnia de disco feita a laser pagas pelo serviço público e tenho certeza que nem cinco estados do Brasil disponibilizam essa tecnologia pelo Sistema Único de Saúde. Já operamos mais de 300 pacientes com prótese de quadril, temos o investimento de R$ 46 milhões no hospital de traumatologia e ortopedia”, disse o governador Tião Viana.

Hoje os pacientes internados em UTI recebem duas visitas por dias. “Mas nós vamos ampliar para três, porque achamos inadmissível que os familiares passem uma noite inteira sem contato e informação sobre o estado de saúde de quem está na UTI. Nossa equipe é treinada, capacitada e temos o melhor acolhimento. Digo isso porque acompanhamos o trabalho de outros hospitais no Brasil e reconheço o esforço que é feito aqui”, comentou a chefe da UTI do Huerb, Márcia Vasconcelos.

Marcus Alexandre, prefeito de Rio Branco, disse que a prefeitura tem feito a parte que lhe cabe no atendimento à saúde, principalmente na atenção básica, ampliando horários de atendimento nos postos e centros de saúde. “Já temos cinco unidades funcionando aos sábados e quatro unidades com atendimento estendido até o início da noite, diariamente. Isso facilita o acesso da população e ajuda a diminuir a pressão sobre o atendimento nas unidades de emergência”, observou o prefeito.

Os deputados estaduais Jamyl Asfuri, Maria Antônia, Denilson Segóvia, Geraldo Pereira, Eber Machado, Walter Prado e o líder do governo na Assembleia Legislativa, Astério Moreira, participaram do evento, ao lado dos vereadores Marcelo Macedo e Fernando Martins. “O sistema de saúde privado não consegue oferecer os serviços que o público está oferecendo. Isso mostra que o governo do Estado tem conseguido melhorar as condições de vida da população”, observou Pereira.

Acre tem 34 ambulâncias no serviço público

A coordenadora do Serviço de Emergência no Estado, enfermeira Lúcia Luna, lembrou a importância de ter ambulâncias traçadas e retaguarda de atendimento. “Esses veículos são essenciais para chegar aos locais que antes não conseguíamos entrar. E não adianta pegar paciente na rua, muitas vezes casos graves, se não houver uma retaguarda no hospital, se não houver leito suficiente na UTI. Estes 18 leitos vão fazer muita diferença na tarefa de salvar vidas”, disse.

Também foram entregues novas ambulâncias para o Samu (Foto: Sérgio Vale/Secom)
Também foram entregues novas ambulâncias para o Samu (Foto: Sérgio Vale/Secom)

A secretária de Saúde explicou que hoje o Acre está bem acima da média preconizada pelo Ministério da Saúde em leitos e em ambulâncias. “O Ministério da Saúde preconiza que de quatro a dez por cento dos leitos da saúde sejam de UTI e estamos acima de 10%. Com estas seis novas ambulâncias, traçadas, temos agora 34 ambulâncias. Pelas regras do Ministério é uma ambulância para cada cem mil habitantes. Com mais de 700 mil habitantes, nós temos 34 veículos. Isso mostra o compromisso do governador Tião Viana com a saúde e o esforço de cada profissional da área para fazer o melhor”, disse Suely.

Números da UTI

 – Até 1999 não havia Unidade de Terapia Intensiva no Acre, sendo o Hospital Santa Juliana o primeiro a oferecer o serviço

Em 2004 o serviço é inaugurado no Pronto-Socorro

– Para funcionar, cada leito da UTI custou um investimento de R$ 200 mil

– Foram 8 leitos novos e 9 leitos reformados, além de 2 leitos de isolamento

Para manter em funcionamento cada leito custa R$ 2,5 mil por dia

Com os novos leitos o governo vai gastar R$ 16,2 milhões a mais por ano com o custeio da saúde

– Cada equipamento da UTI tem uma bateria que garante autonomia de duas horas de funcionamento em caso de queda de energia

Comentários