Velório do “Ilson Maninha” será em sua residência à pedido de sua esposa, em Rio Branco

A imprensa acreana está de luto pelo falecimento do radialista e coordenador de jornalismo da Rádio Difusora Acreana, Ilson Nascimento, 67 anos, ocorrido no final da tarde desta quarta-feira, 06 de dezembro. Ilson Nascimento era chamado carinhosamente pelos amigos de “Ilson Maninha”.

Querido por todos, Ilson Maninha estava internado na Fundação Hospitalar onde fazia Hemodiálise devido a complicações renais. Seu estado de saúde se agravou nos últimos três meses chegando a ser internado mais de quatro vezes.

Em sua última internação, ele sofreu duas paradas cardíacas, foi reanimado, porém, permaneceu em coma na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital das Clínicas.

Amigos relataram que ao voltar do coma, Ilson deixou de responder aos estímulos neurológicos e já não reconhecia ninguém.

“Ele abria os olhos, porém não reagia, não falava, tampouco reconhecia a gente quando íamos visita-lo”, contou com tristeza o jornalista M. Jota, que trabalhou lado a lado com Ilson Nascimento por mais de 20 anos na Rádio Difusora Acreana que era o segundo lar do “Maninha”.

No final da tarde desta quarta (6) quando fazia mais uma sessão de hemodiálise na Fundação Hospitalar/Hospital das Clínicas, “Maninha” não resistiu e veio a óbito.

A pedido da viúva, dona Bruna Jorgete, o corpo de “Ilson Maninha” será velado em sua residência, situada na rua 1º de Abril, 321, no Conjunto Nova Esperança. O cortejo fúnebre ainda não tem um horário definido, mas deve ocorrer, possivelmente, na tarde desta quinta-feira (7).

Ilson Nascimento nasceu no Seringal Novo Cateto, em Xapuri. Ele deixa a esposa Bruna Jorgete, três filhos e quatro netos e a eterna saudade no coração daqueles que o conheceram e desfrutaram de sua rica companhia e amizade.

Saiba mais sobre a vida e trajetória de um dos profissionais mais respeitados do radiojornalismo acreano:

http://www.agencia.ac.gov.br/brava-gente-o-incansavel-ilson-nascimento/

Comentários