Vereadora de Feijó admite que bateu em jornalista e diz não se arrepender

“Bati mesmo. Bati de cinto. Se ele disse que tinha dois homens desconhecidos, ele continua mentindo e com vergonha de dizer que apanhou de cinto”.

Gina Menezes, da Agência ContilNet

Marleyde Dourado admitiu que foi até a casa do jornalista e o agrediu/Foto: Arquivo
Marleyde Dourado admitiu que foi até a casa do jornalista e o agrediu/Foto: Arquivo

Dois dias depois de ter sido divulgada pela imprensa da Capital a agressão sofrida pelo jornalista Antônio Messias, diretor do site e rádio Feijó FM, a acusada de ter praticado os atos de violência, a ex-vereadora do PT, Marleyde Dourado, assumiu a ato e postou, via rede sociais, sua admissão de culpa e ausência de arrependimento, reiterando o despeito que tem para com o jornalista.

A matéria contendo a versão do jornalista sobre a agressão foi publicada na sexta-feira (23). Na ocasião, Antônio Messias contou que foi chamado pela ex-vereadora, que estava no portão da casa dele, e que ao se deparar com a moça foi imediatamente agredido por ela e logo após por dois homens desconhecidos.

Marleyde admite a agressão, mas nega que tenha havido mais alguém envolvido no caso.

“Bati mesmo. Bati de cinto. Se ele disse que tinha dois homens desconhecidos, ele continua mentindo e com vergonha de dizer que apanhou de cinto, daquelas surras conversadas que a gente dá em criança desobediente. O sangue do nariz foi um bofete que eu dei depois que me tomaram o cinto e ele me chamou de assassina”, escreveu.

A ex-vereadora afirmou, ainda, que está pronta para encarar a Justiça eque não se sente arrependida de ter batido no jornalista. Ela afirma cansou de ser vítima de campanhas difamatórias por parte de Antônio Messias.

“Esse cidadão que se diz jornalista vem transformando esse site e essa rádio em um verdadeiro palco de fofocas. Tem sempre alguém sofrendo difamação ou calúnia e desconheço alguma providência pelos meios legais. Sou a favor da liberdade de imprensa, mas de uma forma justa, o que não é o caso dele”, declarou.

Comentários