Conecte-se conosco

Extra

A força feminina na produção rural e no sustento familiar

Publicado

em

Raylanderson Frota

É inegável o avanço das mulheres no campo. Embora o papel que desempenham sempre tenha sido muito importante, somente em décadas recentes elas têm conquistado o reconhecimento que merecem. Em um setor com constantes mudanças e evoluções, as mulheres exercem uma função fundamental.

Em Brasileia a atual gestão do município, a presidência do legislativo e o sindicato dos trabalhadores rurais está ocupado por mulheres. Assim como a presidência da associação de moradores do Polo Agroflorestal Wilson Pinheiro, localizado no quilometro quatro da BR 317, sentido Assis Brasil, área rural de Brasileia. A comunidade do Polo é conhecida por ser uma área muito produtiva e com um alto potencial de criação e tem como representante a senhora Maria Madalena, mais conhecida como dona Santa.

A Santa é a presidente da associação Wilson Pinheiro do Polo de Brasileia, casada e já está à frente da associação há seis anos, chegou ao cargo através do voto dos moradores que a escolheram para ser a voz e o rosto da comunidade, nas últimas três eleições. “Eu gosto do trabalho que eu faço na comunidade e da confiança dos moradores em mim, sou grata por terem me escolhido para representá-los”, falou dona Santa.

 

Segundo a presidente, ocupar esse cargo e realizar os serviços que ela desenvolve é motivo de muito orgulho. “Primeiro a mulher não podia fazer nada, agora a mulher manda, desmanda e faz. Hoje nós temos mulher na prefeitura, presidência, deputadas e vereadoras. Então as mulheres estão tomando de conta e já está trabalhando melhor que muitos homens”, disse dona Santa, presidente da associação do Polo Agroflorestal Wilson Pinheiro.

Apesar de terem uma grande participação do que é produzido no campo, na maior parte das vezes, as mulheres não são reconhecidas como produtoras ou donas das propriedades, mas com garra e perseverança, as coisas acontecem naturalmente. Esse é o caso da Dona Maria Margarida, 63, casada há 45 anos e mãe de três filhos.

Dona Margarida mora no Polo há 18 anos e é feirante há 16 anos. Produz e vende produtos que têm como: macaxeira, farinha, tucupi, goma, pé de moleque, bolos de arroz e bolo de macaxeira. Ela e o filho começam os trabalhos cedo, com a colheita da mandioca, limpeza, até o produto final, normalmente todo o processo de produção demora de 3 a 6 dias.

“Esse trabalho é todo final de semana, a gente se arruma e vamos para a feira. Saio de casa meia-noite ou uma hora da manhã no carro que a prefeitura disponibiliza para vender os nossos produtos na feira. Meu filho Jucimar e minha filha Jussara vem sempre final de semana me ajudar na produção, eles têm sido meu ombro amigo. Eu comando tudo, tudo passa por mim, desde o roçado até a limpeza, plantando, roçando tudo, eu marco um dia e a gente vai plantar e colher todo mundo junto”, destacou Dona Margarida, produtora e feirante em Brasileia.

Com a chegada da pandemia no Acre, em Brasileia, muitas coisas precisaram de readequação. Foi o caso das agricultoras do ramal do Polo, que precisaram pensar em um novo modelo de trabalho e adaptação para escoar a produção. Algumas começaram a vender seus produtos em frente de lojas e mercados, em cima dos veículos e para clientes da Bolívia e estabelecimentos comerciais.

Segundo Dona Artemísia, a venda de verduras foi o sustento inicial para poder criar seus filhos. “A gente comprou esse lugarzinho, fomos plantando devagarinho, arrumando venda de umas verduras o suficiente para criar nossos filhos, tenho três filhos e graças a Deus a gente tá prosperando, trabalhando firme e forte, eu e o meu esposo. Aos poucos vamos ampliando com a criação de galinha, frango caipirão e plantação na horta”, destacou Artemísia agricultora em Brasileia.

Apoio da Prefeitura

A Prefeitura de Brasileia tem assistido as comunidades na área rural por meio da secretaria de agricultura e dado apoio com a mecanização de terra, plantio e colheita. Antes da pandemia a gestão dava o apoio aos produtores, agricultores e feirantes com o transporte para vender os produtos na cidade e o espaço físico.

Desde o início da pandemia em 2020, a prefeitura tem dialogado com os feirantes para suspender temporariamente as feiras semanais, mesmo assim seguiu dando orientações que envolvem medidas e cuidados durante a pandemia, visando garantir a saúde dos produtores e agricultores familiares.

Na terça-feira (23), foi realizado no Centro Cultural uma nova reunião da Prefeitura de Brasileia com os feirantes que vendem seus produtos na feira Maria Florência. E ficou acordado que a feira livre volta a funcionar todas as sexta-feira, iniciando dia 26 de março, das 5 horas da manhã até 12 horas.

 

Comentários

Extra

Estrutura se desprende de prédio e cai na calçada do centro de Brasiléia

Publicado

em

Imagens feitas pela equipe do Corpo de Bombeiros do 5º Batalhão – Cedidas

Na tarde desta quarta-feira (6), uma grande estrutura metálica caiu de um prédio antigo localizado no centro da cidade de Brasiléia, no momento em caia uma chuva, por volta das 16 horas e por pouco não causou uma tragédia.

Segundo testemunhas, uma senhora e uma criança passavam pelo local, quando perceberam que a estrutura começou a cair. Mesmo sendo avisadas, ainda teriam sido atingidas por parte do material, sofrendo pequenos arranhões escapando de algo mais grave.

Parte do material atingiu duas motos que estavam estacionadas. Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi acionada até o local, fazendo um isolamento e retirando os veículos. Devido o horário, retornarão na manhã desta quinta-feira, dia 7, para realizar uma inspeção e possivelmente notificar o proprietário.

O prédio onde funcionava um pequeno mercado, é antigo e se encontra fechado. O proprietário poderá ser responsabilizado pelos prejuízos causados as motocicletas que estavam estacionadas e foram danificadas.

Um relatório completo será feito pela equipe da Defesa Civil e Corpo de Bombeiros.

Comentários

Continue lendo

Extra

Jovem escapa da morte com tiro no nariz em Brasiléia após dizer que não tinha “fumo”

Publicado

em

Imagem ilustrativa

Um jovem de 17 anos escapou da morte na tarde desta quarta-feira (6), com um ferimento no nariz ocasionado por arma de fogo. O caso aconteceu no Bairro Sumaúma I, zona periférica da cidade de Brasiléia por volta das 15 horas.

Segundo foi apurado pela guarnição da Polícia Militar do 5º Batalhão do Alto Acre, o jovem se encontrava em casa quando chegou um homem magro com tatuagens no braço direito, roupas escuras e o chamou, perguntando se teria ‘fumo’.

Ao dizer que não mexia com coisas ilícitas, o homem sacou de uma arma e passou a desferir vários tiros, sendo que um passou raspando seu rosto e ao mesmo tempo, alguns disparos falharam, dando tempo para que pudesse fugir e salvar sua vida se escondendo.

Após a tentativa de homicídio, o homem fugiu tomando rumo ignorado. Foi quando solicitaram uma ambulância que conduziu o jovem para o hospital Raimundo Chaar. A vítima foi atendida pela equipe médica de plantão, passando por procedimentos e ficaria em observação, podendo ser liberado nas próximas horas.

O caso foi registrado como tentativa de homicídio no Comando do 5º Batalhão da Polícia Militar e na Delegacia Geral de Polícia Civil de Brasiléia, que já está investigando o caso na tentativa de localizar e prender o suspeito.

Mais informacões a qualquer momento.

 

Comentários

Continue lendo

Extra

Exame da OAB aprova o maior índice de candidatos acreanos da história da prova unificada

Publicado

em

Taxa de aprovação do Acre de 29% foi a maior desde a instituição do Exame da Ordem Unificado (EOU) em 2010

Um total 29% dos candidatos acreanos que prestaram o 33º Exame da Ordem Unificado (EOU) realizado pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB) – em 17/10/2021 (primeira fase) e 12/12/2021 (segunda fase) – foram aprovados. Trata-se do maior percentual de aprovação da história desde a unificação da prova em 2010.

O percentual corresponde a 142 candidatos dentre um total de 492 inscritos que realizaram a prova. Os números constam do relatório de desempenho ( https://bit.ly/39ikP7w) e também na tabela comparativa do exame ao final do texto.

O número supera as últimas duas edições da prova – 31 e 32 – quando as taxas de aprovação foram de 16%. Atualmente, a 34ª edição encontra-se em finalização de compilação de dados, enquanto a 35ª edição está em andamento e os dados devem ser divulgados no próximo ano.

Embora os números indiquem um aumento gradual no percentual de aprovados, o que indicaria uma melhora – ainda que tímida – na qualidade dos cursos de direito, o índice ainda é considerado baixo. A própria OAB Nacional tem reprovado boa parte dos cursos recém-autorizados pelo Ministério da Educação.

“Ainda precisamos avançar muito na formação de futuros advogadas e advogadas. A OAB tem o compromisso de lutar e contribuir com a modernização do ensino jurídico brasileiro, sem dispor de sua qualidade, eficiência e superioridade técnico-científica”, afirma o presidente da OAB Nacional, Beto Simonetti.

Do total de aprovados, 63 examinandos solicitaram o reaproveitamento de pontos da edição anterior (32º EOU) para ingressarem diretamente na segunda fase do 33º exame. O reaproveitamento se dá quanto à aprovação na 1ª fase (prova objetiva) de um determinado exame, para que o candidato possa prestar diretamente a 2ª fase (prova prático-profissional) do EOU imediatamente subsequente.

Dimensão

Para o presidente da Comissão Nacional de Exame de Ordem, Marco Aurélio Choy, a prova é um instrumento que confere equidade à advocacia. “É um case de sucesso por ser o maior concurso jurídico do mundo. Mudanças e novidades são pensadas sempre, com o intuito de melhorar a aplicação, mas tudo feito com parcimônia. O Exame de Ordem é, sem dúvida, um meio de suma importância para o Direito”, entende Choy.

No 33º EOU, 26 campi alcançaram 100% de aprovação no desempenho geral (contando o reaproveitamento), embora seja necessário ressaltar que, em algumas destas situações, apenas um aluno do curso foi inscrito, tendo conseguindo a aprovação. Nestas situações é necessário associar este dado a outros para se avaliar o desempenho da instituição. 

Histórico

A aprovação no Exame de Ordem Unificado é requisito para a inscrição nos quadros da OAB como advogado. O Exame de Ordem pode ser prestado por bacharel em direito, ainda que pendente apenas a sua colação de grau, formado em instituição regularmente credenciada. Poderão realizá-lo os estudantes do último ano do curso de graduação em direito ou dos dois últimos semestres.

Desempenho – Aprovação (Média histórica do Exame de Ordem Unificado)

A OAB

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB) é a entidade de representação dos advogados brasileiros, com 1,3 milhão de profissionais registrados. A instituição é responsável pela regulamentação da advocacia, pela aplicação do Exame de Ordem dos advogados no país e, a cada gestão, divulga o Selo OAB Recomenda, com a lista dos cursos de direito que atendem aos requisitos mínimos de qualidade técnicos e éticos de sua prática profissional.


Assessoria de Imprensa do CFOAB - Novo Selo Comunicação
Assessores: Amanda Pereira 

Site: www.oab.org.br

Site: www.novoselo.com.br

 

Comentários

Continue lendo

Em alta