Além da classificação para a copa do mundo o Peru terá mais um motivo para comemorar em 2018, inicia o ano com o prazer de receber o Papa Francisco que já é considerado o mais popular de todos os tempos,o Pontífice máximo da igreja católica onde passa, encanta, estará na cidade de Puerto Maldonado dia 19 de Janeiro, data essa que ficará na historia daquela cidade.

Sua Santidade o Papa Francisco irá ao Chile de 15 a 18 de janeiro de 2018 – visitando as cidades de Santiago, Temuco e Iquique – e após ao Peru, de 18 a 21 de janeiro, onde visitará as cidades de Lima, Puerto Maldonado e Trujillo. O programa detalhado da viagem será publicado em breve, nos próximos dias.

O Pontífice, além de popular, onde passa deixa mensagens marcantes para o povo, são verdadeiras multidões e seguidores em todas as partes do mundo, sua vinda ate Puerto Maldonado, irá levar milhões de brasileiros por vários meios de transportes, sobretudo terrestre, pessoas de Goiás, Mato grosso,Amazonas,Tocantins, Brasília e outras partes do Brasil,deverão sobretudo passar pela estrada do Pacifico.

Estrada do Pacífico que surgiu como a estrada do desenvolvimento, também conhecida como Rodovia Interoceânica, é uma estrada binacional que liga o noroeste do Brasil ao litoral sul do Peru, através do estado do Acre, que tem como capital Rio Branco, A parte da Estrada do Pacífico que fica dentro do território brasileiro é identificada como BR-317 enquanto no Peru é chamada apenas de ‘Carretera Interoceanic’ (em espanhol).

Trecho entre os municípios de Brasiléia e Assis Brasil – Foto: arquivo

Dentro do Brasil a “Estrada do Pacífico” inicia em Porto Velho (RO) e no Acre continua pela BR-317, que passa pela capital Rio Branco e vai até a tríplice fronteira com o Peru e Bolívia, atravessando entre a cidade brasileira de Assis Brasil “Antiga Vila Paraguaçu” e a peruana Iñapari. No Peru, a Estrada do Pacífico se divide inicialmente em duas, uma em direção a Oeste, que no Peru segue pela rodovia PE-030, desde Nazca, passando por Cuzco capital Andina, até o porto de San Juan de Marcona. A outra rota, em direção ao Sul, se subdivide em duas na região próxima ao Lago Titicaca, e segue pela PE-034 até o porto de Matarani e pela PE-036 até o porto de Ilo.

É inegável a diferença da Rodovia nos dois lados, no Lado brasileiro uma estrada cheia de buracos, pista estreita e sem sinalização, já no lado Peruano pista intacta, larga e, com sinalização, ao passar por Iñapari no Peru, a sensação é que entramos em outra Rodovia com tamanha diferença, mas na verdade seguimos na mesma, de fato o que os brasileiros e contribuintes desse País “NÃO ENTENDEM”, como pode ocorrer tanta discrepância, defasagem, disparidade, desconformidade, desnivelamento, desnível, diferencial, em uma mesma Rodovia? Faltou administração e gerenciamento de recurso públicos, ou mais uma vez sobrou corrupção?

 

Comentários