Parece um grupo de alunos do curso de medicina da Uninorte proferindo palavras de baixo calão contra os alunos da Ufac

Vídeo teria sido gravado no pátio da Uninorte, onde os estudantes se reuniram e resolveram zombar dos acadêmicos da universidade pública (Foto: Captura)

Um vídeo publicado na rede social Facebook na tarde de quinta-feira (8), que horas depois foi retirado do ar, vem causando polêmica entre acadêmicos dos cursos de medicina da Uninorte e Universidade Federal do Acre (Ufac).

Nas imagens aparece um grupo de alunos do curso de medicina da Uninorte proferindo palavras de baixo calão contra os alunos da Ufac.

Segundo informações de alunos, o vídeo teria sido gravado no pátio da Uninorte, onde os estudantes se reuniram e resolveram zombar dos acadêmicos da universidade pública. Eles dizem que não possuem cadáver, e que isso não os incomoda, pois anatomia eles fazem nas partes íntimas das mulheres dos alunos da Ufac.

Após o vídeo vazar e ser compartilhado por vários usuários do Facebook, uma das jovens que aparece na gravação participando do ato vexatório, afirmou que as ofensas fazem parte de sua “propriedade intelectual”, e que por isso não poderia ser compartilhado sem seu consentimento. A estudante alegou ainda, que menores aparecem no vídeo.

“Esse conteúdo é minha propriedade intelectual, e não pode ser usado sem permissão. Há menores de idade no vídeo e implica na violação de algumas regras”, escreveu a acadêmica de medicina A. C. M., que pediu para a publicação ser removida.

____________________

Alunos de medicina da Ufac prometem aciosar a Justiça após a divulgação do vídeo com expressões ofensivas. A reitoria da Ufac também foi questioanda e afirmou que deve se posicionar sobre o caso em breve.

____________________

Os estudantes da Uninorte divulgaram nota sobre o caso e pedem que “lamentam a forma com que as pessoas interpretam e disseminam mentiras sem sequer terem conhecimento do que acontece entre as duas atléticas. Mais amor e menos drama galera”, diz trecho da nota.

Confira a nota na íntegra:

Diante da situação que envolveu os calouros do curso de medicina da Uninorte na última quarta-feira 6, a atlética MASSACRE vem expor e explicar sobre o ocorrido.

Como todos vocês já podem ter acompanhado, existe uma rivalidade TOTALMENTE SAUDÁVEL entre as atléticas de medicina da região, a qual uma vez por ano, todas nós, atléticas de medicina de Rondônia e Acre, nos reunimos para uma competição esportiva chamada Intermed. Nela, além das competições nos esportes, cantamos e gritamos os gritos de guerras voltados para nós mesmos, atleticanos e atletas que, através desses eventos, fomentamos o estímulo ao esporte e à integração entre os estudantes de medicina.

Porém, ao cantarmos esses gritos de guerras no pré- trote dos calouros na última terça-feira, pessoas fora do curso e de outras instituições sentiram-se incomodadas com tal fato e começaram a denegrir a imagem dos estudantes de medicina da UNINORTE nas redes sociais. Infelizmente, essas pessoas que não entendem o que é rivalidade saudável entre as atléticas vêm com o intuito de causar discórdia e confusão com algo que não há.

Deixamos claro aqui que não compactuamos de forma alguma com o incentivo à violência e muito menos desmerecemos ninguém perante instituições de estudo. Ademais, que fique claro que nunca foi e nunca será de nossa intenção desvalorizarmos as mulheres, independentemente de qualquer que seja a atlética, e que a conotação nunca teve a intenção de ser abusiva ou desrespeitosa com o gênero que tanto admiramos e que, inclusive, integram a nossa delegação com participação ativa. Por fim, lamentamos a forma com que as pessoas interpretam e disseminam mentiras sem sequer terem conhecimento do que acontece entre as duas atléticas. Mais amor e menos drama galera!

Comentários