Ministério da Saúde estendeu prazo para envio de dados de imunização.
Acre apresenta o pior índice de vacinação do país e da Região Norte.

Estado deve continuar vacinando contra gripe até 10 de junho (Foto: Fabiana Figueiredo/G1)
Estado deve continuar vacinando contra gripe até
10 de junho (Foto: Fabiana Figueiredo/G1)

Do G1 AC

em atingir a meta na campanha de vacinação contra a influenza até a última sexta-feira (20), a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) deve continuar imunizando grupos prioritários até o dia 10 de junho.

A meta estabelecida pelo Ministério da Saúde para o Acre é de 170 mil pessoas, mas a cobertura vacinal mínima que o estado deve atingir é de 80% disso. Porém, até a última sexta-feira (20), 107.188 mil pessoas foram vacinadas, registrando 63% de cobertura.

Segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde na sexta, o Acre apresenta o pior índice de imunização do país, onde em seguida estão Roraima (66,5%) e Amazonas (73,3%). De acordo com a Sesacre, devido à baixa cobertura em estados da Região Norte, o Ministério decidiu estender o prazo para receber dados da campanha que forem repassadas pelos municípios.

A coordenadora do setor de Imunização, Dora Holanda, destaca que o prazo deve aumentar os números da imunização principalmente em municípios que não atingiram a meta.

“Como o Estado ainda não alcançou a cobertura, o site que recebe os dados das doses permanece aberto. Tendo essa chance, vamos continuar vacinando até atingir a meta. Municípios que alcançaram cobertura, mas não nos grupos prioritários, também têm uma nova chance. Rio Branco também não atingiu a meta e quem procurar o posto vai ter vacina disponível”, destaca.

Municípios
Em matéria publicada no G1 Acre na última quarta-feira (18), Dora afirmou que o município de Porto Acre conseguiu vacinar menos pessoas, apenas 27% do público-alvo. Santa Rosa do Purus aparece em seguida, com 30%; Acrelândia com 38%, Capixaba e Assis Brasil apresentam o percentual de 41%, de acordo com a Imunização.

Campanha no Acre
No estado, 170.024 mil pessoas fazem parte do público-alvo, composto por idosos, crianças, gestantes, povos tradicionais, mulheres que tiveram bebê até 45 dias depois do parto, funcionários da Saúde e ainda população carcerária.

Comentários