Com informações do TRE

O Acre possui 101 seções eleitorais situadas em locais de difícil acesso, sendo que dessas, em 77 a transmissão do resultado das eleições para os computadores da Justiça Eleitoral só ocorre via satélite. São aldeias indígenas, comunidades ribeirinhas, reservas florestais e seringais, a maioria situada no Vale do Juruá. Em 42 locais o acesso se dá apenas por helicópteros, enquanto as demais são acessíveis por barcos e caminhonetes traçadas.

Para transmitir os dados nessas localidades isoladas, o Tribunal Regional Eleitoral do Acre utiliza antenas de transmissão e notebooks, que são manuseados pelo próprio mesário. Na quarta-feira, dia 1º, a 4ª Zona Eleitoral do Acre, com sede em Cruzeiro do Sul, finalizou o treinamento de 36 mesários que serão responsáveis pela transmissão de dados nos municípios abrangidos pela zona, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Marechal Taumaturgo, Porto Walter e Cruzeiro do Sul.

“A partir de quinta-feira todos se deslocarão para os locais de votação, onde farão vários testes para saber se a comunicação via satélite está funcionando a contento. Ao longo do dia eles mantêm contanto com a Justiça Eleitoral para informar sobre o andamento do processo eleitoral, e ao final da votação, transmitem o boletim de urna”, esclarece Cleilton Costa, integrante do Núcleo de Apoio Técnico da Justiça Eleitoral.

Os mesários são convocados pelo juiz eleitoral. Essa é a terceira vez que a servidora pública Maria Helene Silva recebe a carta convocatória, e em todas as vezes atuou em locais de difícil acesso com transmissão de dados via satélite. Dessa vez ela embarcará de helicóptero para uma comunidade localizada no Rio Valparaíso, em Cruzeiro do Sul.

“É uma responsabilidade muito grande, e requer bastante treinamento. Felizmente nunca tive nenhum problema na hora da transmissão, que sempre ocorre em questão de segundos. Mas somos preparados para trabalhar em condições meteorológicas ruins, quando a transmissão pode ser mais trabalhosa e durar um pouco mais”, disse a mesária.

O Tribunal conta com o apoio de dois helicópteros da Força Aérea Brasileira para realizar o transporte de urnas, mesários e policiais para as comunidades isoladas no Estado. As aeronaves chegaram ao Estado na segunda-feira, 29, e iniciaram a operação no dia 30.

Comentários