Conecte-se conosco

Flash

Acre registra dois novos casos conhecidos de Covid-19, chegando ao número de infectados de 125.179 em todo o estado

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), por meio do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), informa que foram registrados 2 novos casos de coronavírus nesta segunda, 13 de junho. O número de infectados é de 125.179 em todo o estado.

Até o momento, o Acre registra 330.547 notificações de contaminação pela doença, sendo que 205.305 casos foram descartados e 63 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen). Pelo menos 123.100 pessoas já receberam alta médica da doença, sendo que 1 seguia internada até o fechamento deste boletim.

Os dados da vacinação contra a covid-19 no Acre podem ser acessados no Painel de Monitoramento da Vacinação, disponível no endereço eletrônico: http://covid19.ac.gov.br/vacina/inicio. As informações são atualizadas na plataforma do Ministério da Saúde (MS), ficando sujeitas a alterações constantes, em razão das informações inseridas a partir de cada município.

Nenhum óbito foi notificado nesta segunda, 13, fazendo com que o número oficial de mortes por covid-19 permaneça em 2.002 em todo o estado.

Sobre os casos de covid-19 no estado, acesse:
BOLETIM_AC_COVID_13_06_2022_PARCIAL

Sobre a ocupação de leitos no estado, acesse:
http://covid19.ac.gov.br/monitoramento/leitos

Comentários

Flash

No Acre, PF captura montante de R$ 400 mil que seria usado para compra de votos; Veja vídeo

Publicado

em

Dinheiro apreendido pela PF/Foto: Reprodução

As ações da Polícia Federal na Capital Rio Branco, no Acre, nesta quarta-feira (28), resultatam na apreensão de R$ 400 mil em espécie.

O dinheiro estava em malas escondidas nas casas e escritórios políticos.

“Era dinheiro para comprar votos”, revelou um comunicado da própria Policial, que deflagrou as operações Violeta e Algibeira nesta quarta-feira (28).

Ha informações circulando em redes sociais, que a Polícia Federal não as confirmou, sobre o encontro de listas que envolveriam mais de 200 mil eleitores em cadastros de candidatos investigados. As malas do dinheiro aprendido hoje foram divulgadas pela própria Polícia Federal.

Operações 

Os candidatos investigados, por força da legislação eleitoral, não podem ser presos e seus nomes, com base na lei de abuso de autoridade, também não podem ser divulgados. As investigações da PF foram desencadeadas a partir de denúncias do Ministério Público Eleitoral.

Na Operação Violeta, o objetivo foi reprimir compra de votos, bem como o abuso do poder econômico e político durante as eleições. Na ação policial mencionada, a Polícia Federal cumpriu três mandados judiciais de busca e apreensão na cidade de Rio Branco/AC, contra um candidato e apoiadores.

De acordo com a Polícia Federal, durante as investigações, que tiveram início este mês, foi possível identificar que candidato às eleições, na cidade de Rio Branco, estabeleceu estreito laço com indivíduos pertencentes a facção criminosa atuante no Acre, com a finalidade de criar uma rede de proteção, a qual fora utilizada da maneira mais variada, principalmente com a possível compra de votos. Os envolvidos responderão pelos crimes de corrupção eleitoral, com pena prevista de até quatro anos de reclusão; e falsidade ideológica, com até cinco anos de prisão. Os dois delitos são previstos no Código Eleitoral.

A outra operação foi denominada “Algibeira”, em alusão ao método mais utilizado pelos investigados na tentativa de retirar de forma discreta os recursos em espécie armazenados no imóvel alvo de buscas, para a compra de votos. A finalidade desta operação também foi coibir a prática de abuso do poder econômico e político durante o período eleitoral, por meio da utilização indevida de dinheiro durante as eleições.

Comentários

Continue lendo

Flash

Mais de 10 mil Declarações de ITR 2022 já foram enviadas à Receita Federal no Acre        

Publicado

em

O prazo de entrega encerra-se em 30 de setembro

A expectativa é de receber entre 12.256 e 13.570 declarações no estado do Acre até o dia 30/09 fim do prazo.   

Até as 11h de hoje, 5.250.357 milhões de contribuintes já enviaram a declaração à Receita Federal.

No estado do Acre, foram entregues até o momento o total de 10.358 declarações. Na 2ª Região Fiscal, composta pelos estados do Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia e Roraima, a Receita Federal recebeu ao todo 212.947 declarações.  

Pessoas e empresas que são proprietárias, titulares do domínio útil ou possuidoras a qualquer título do imóvel rural estão obrigadas a apresentar a DITR. O contribuinte deve elaborar a declaração por meio do Programa Gerador da Declaração do ITR, disponibilizado na página da Receita Federal https//www.gov.br/receitafederal e transmiti-la pela Internet.

Quem não apresentar a declaração no prazo está sujeito à multa de 1% (um por cento) ao mês ou fração de atraso, lançada de ofício e calculada sobre o total do imposto devido.

O valor do imposto pode ser pago em até 4 (quatro) quotas iguais, mensais e sucessivas, sendo que nenhuma quota pode ter valor inferior a R$ 50,00 (cinquenta reais). Imposto de valor inferior a R$ 100,00 (cem reais) deve ser pago em quota única e a quota única ou a 1ª (primeira) quota deve ser paga até o último dia do prazo para a apresentação da DITR.

Diversas instituições de Ensino Superior possuem o Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal – NAF em parceria com a Receita Federal e estão prestando orientações para o preenchimento e entrega da DITR, de forma virtual e gratuita para a sociedade.

Acesse aqui  o perguntas e respostas ITR2022 para mais esclarecimentos.

Comentários

Continue lendo

Flash

Saiba quem é a candidata alvo de operação da PF contra crimes eleitorais em Rio Branco

Publicado

em

Por

No caso de Lanna Vaz, a PF investiga a prática ilegal de compra de votos, bem como o abuso do poder econômico e político durante as eleições.

Lana Vaz, candidata à Câmara Federal pelo PSDB, foi alvo da operação — Foto: Arquivo pessoal

Lana Vaz, candidata à Câmara Federal pelo PSDB, foi alvo da operação — Foto: Arquivo pessoal

A candidata a deputada federal Lanna Vaz (PSDB) foi alvo de uma operação deflagradas pela Polícia Federal nesta quarta-feira (28) contra crimes eleitorais no estado do Acre.

Correção: (O g1 errou ao informar que o candidato Fábio Rueda, do União Brasil, estava entre os alvos da operação. A informação foi corrigida às 11h52 [horário do Acre]).

As operações, que ocorreram em conjunto com o Ministério Público Eleitoral, receberam o nome de “Comitê Violeta” e “Algibeira”. Em nota, o PSDB afirmou que “respeita e confia na justiça e nos órgãos de investigação, que cumprem sua função de apurar quaisquer denúncias nesse período eleitoral, garantindo a transparência e lisura do processo.” (Veja nota na íntegra abaixo)

No caso de Lanna Vaz, a PF investiga a prática ilegal de compra de votos, bem como o abuso do poder econômico e político durante as eleições. Na operação Comitê Violeta, a polícia cumpriu três mandados judiciais de busca e apreensão em Rio Branco contra a candidata e partidários.

  • Operação Comitê Violeta

Durante as investigações da operação Comitê Violeta, que tiveram início em setembro, foi possível identificar que um candidato às eleições estabeleceu estreito laço com indivíduos pertencentes a facção criminosa atuante com a finalidade de criar uma rede de proteção, que foi utilizada da maneira mais variada, principalmente com a possível compra de votos.

Segundo a PF, os envolvidos responderão pelos crimes de corrupção eleitoral, com pena prevista de até quatro anos de reclusão, e falsidade ideológica com até cinco anos de prisão, os dois delitos do Código Eleitoral.

A investigação foi chamada de “Comitê Violeta” por fazer alusão a principal cor utilizada pela candidata durante as campanhas eleitorais.

As investigações, que tiveram início em setembro, identificaram a presença de operadores de dinheiro, que, no período pré-eleitoral, guardavam quantias em espécie em determinado “bunker”, com a finalidade de, posteriormente, dar suporte a eventuais candidatos e campanhas políticas.

“Foi possível constatar no decorrer das investigações que indivíduos armazenavam altas quantias em seus bolsos e deixavam o local, inúmeras vezes ao dia, com volumes em suas roupas, em razão das grandes quantias em espécie que portavam”, diz a nota da PF.

Os envolvidos responderão pelos crimes de corrupção eleitoral e falsidade ideológica, ambos do Código Eleitoral, assim como lavagem de dinheiro, que somados poderão resultar em até 20 anos de prisão.

O codinome empregado na operação faz referência ao método mais utilizado pelos investigados na tentativa de retirar de forma discreta os recursos em espécie armazenados no imóvel alvo de buscas.

Nota do Partido da Social Democracia Brasileira

O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) vem a público esclarecer que respeita e confia na justiça e nos órgãos de investigação, que cumprem sua função de apurar quaisquer denúncias nesse período eleitoral, garantindo a transparência e lisura do processo.

O partido presta solidariedade à candidata Lanna Vaz pela violência política de alguns órgãos de imprensa, descomprometidos em noticiar a verdade, que usam da espetacularização midiática para negar a adversários o direito à presunção de inocência e que se valem da desinformação para alcançar a comoção pública.

Confiamos no papel da justiça e que a verdade será, brevemente, restabelecida. E, em que pese nosso respeito à justiça, cabe-nos esperar por ela, sem jamais precipitar qualquer julgamento, apontamento e/ou condenação

MANOEL PEDRO DE SOUZA GOMES
Presidente do PSDB/AC

Comentários

Continue lendo

Em alta