Entre uma saída para amenizar a situação da falta de militares nas ruas e combater a criminalidade, diz respeito à convocação de funcionários que estão com desvio de função, ou seja, que foram nomeados para outras áreas.

Parlamentar comentou ainda sobre a situação dos peritos criminais (Foto: FdoA)

A insegurança no estado do Acre abriu de fato os debates nessa terça-feira (27) no plenário da Assembleia Legislativa do Acre (ALEAC). Entre uma saída para amenizar a situação da falta de militares nas ruas e combater a criminalidade, diz respeito à convocação de funcionários que estão com desvio de função, ou seja, que foram nomeados para outras áreas.

“O Acre tem mais militares com desvio de função do que no Rio de Janeiro. É um dever o governo chamar todos que estão atuando em funções diversas, que estão trabalhando para outras áreas e que retornem a trabalhar para reforçar as nossas ruas”, sugeriu o parlamentar.

Diniz classificou que o “gabinete militar está inchado” e que “Devemos combater com responsabilidade a insegurança que reina no nosso estado. Diz que não tem recursos, mas têm nomeações de cargos políticos com valores até R$ 20 mil reais de pagamento. Tudo de ruim que o PT fez no Acre, não faz mais, já deu”.

Ao usar da palavra, o parlamentar comentou ainda sobre a situação dos peritos criminais. Apesar de haver um concurso público, o governo ainda não convocou os trabalhadores para seus postos de trabalho.

Comentários