Conselheiros do TCE querem que Marcus Alexandre preste contas referente ao tempo em que ele foi diretor do Deracre

Operação Buracos, deflagrada em outubro do ano passado, acusado de desviar mais de R$ 700 milhões, quando era Diretor do Departamento de Estradas e Rodagens (Deracre)
SALOMÃO MATOS, DO CONTILNET

Durante uma das fases da Operação Buracos, da Polícia Federal, Alexandre chegou a ser levado, coercitivamente, pelos agentes federais, juntamente com sua esposa, para prestar esclarecimentos sobre desvios de recursos públicos que seriam destinados para obras na rodovia BR-364.

Na auditoria dos Conselheiros de Contas, em sessão que acontece na manhã desta quinta-feira (06), os auditores irão analisar o processo nº 15.723.2011-20-TCE/AC C/31 e querem que Marcus Alexandre explique a prestação de contas referente a todo período em que ele foi diretor do Deracre, juntamente com o engenheiro Edson Alexandre de Almeida Gomes.

Durante uma das fases da Operação Buracos, da Polícia Federal, Alexandre chegou a ser levado, coercitivamente, pelos agentes federais, juntamente com sua esposa, para prestar esclarecimentos sobre desvios de recursos públicos que seriam destinados para obras na rodovia BR-364.

Na auditoria dos Conselheiros de Contas, em sessão que acontece na manhã desta quinta-feira (06), os auditores irão analisar o processo nº 15.723.2011-20-TCE/AC C/31 e querem que Marcus Alexandre explique a prestação de contas referente a todo período em que ele foi diretor do Deracre, juntamente com o engenheiro Edson Alexandre de Almeida Gomes.

Comentários