Advogado Sanderson Moura

O advogado criminalista Sanderson Moura usou as redes sociais no último domingo (5) para criticar a nota enviada pela Associação dos Advogados Criminalistas do Brasil no Acre (Abracrim-Acre) por ter repudiado a ação da Polícia Federal, desencadeada na última segunda-feira (30) que resultou na condução coercitiva do prefeito de Rio Branco Marcus Alexandre (PT).

Sanderson afirmou, via Facebook, que não concorda com a nota porque silencia sobre as graves acusações de desvios de dinheiro público, sendo este o motivo da ação da PF.

Sanderson disse, ainda, que a advocacia autêntica não se presta a isso, ao se referir sobre a nota emitida pela associação.

“Em uma nota da Abracrim-AC, sendo usada pelos partidários petistas, circulando nas redes sociais, que a meu ver foi feita sem as devidas ponderações. Sou advogado criminalista de raiz, e não concordo com a pertinência da nota porque silencia sobre as graves acusações de desvios de dinheiro público, R$ 700 milhões, limitando-se a defender, exclusivamente, o prefeito acusado de corrupção. Advocacia criminal autêntica não se presta pra isso”, diz.

Sanderson Moura afirma também que a nota causa desunião entre os advogados. “Ao invés de unir os criminalistas, esta nota partidariza a honrada instituição, da qual já fui presidente”, diz.

Na nota enviada às redações pela Abracrim afirma que a condução coercitiva, ao cercear a liberdade do investigado, impossibilita a adequada orientação técnica do advogado a seu cliente, de modo a comprometer-lhe a ampla defesa e, até que se proponha a extinção do art. 133 da Constituição Federal, o exercício da advocacia é indispensável à administração da Justiça, em virtude de sua atuação em defesa da integridade dos direitos fundamentais das pessoas em geral.

 

Comentários