Decisão unânime foi tomada em julgamento sem a presença do atleta ou de advogados do clube, que enviou um ofício avisando ausência. Diego pega gancho de quatro jogos

Marcos Nogueira, árbitro acreano agredido por Alcione — Foto: Roseane Amorim/Arquivo Pessoal
Por Diego Torres — Rio Branco, AC

O julgamento da agressão do jogador Alcione, do Atlético Brasileense, sobre o árbitro Marcos Nogueira foi realizado na tarde da ultima quinta-feira (20), na sede da Federação Acreana de Futebol de Salão (Fafs), em Rio Branco, com a presença dos dirigentes da entidade e dos advogados da vítima.

Alcione acertou uma cabeçada e um chute no rosto de Marcos Nogueira durante a partida final da segunda divisão estadual entre Fluminense da Bahia e Atlético Brasileense, na noite do dia 11 de setembro (terça-feira).

Atleta fez vídeo com pedido de desculpas — Foto: Reprodução

Em decisão unânime, o atleta foi suspenso por 905 dias, o que resulta em dois anos, cinco meses e 25 dias longe das quadras. Além de não poder praticar o futsal no estado, Alcione também não pode se aproximar de nenhum centro esportivo que esteja acontecendo algum jogo da modalidade realizado pela federação.

A decisão foi na justiça desportiva, porém, também corre processo do juiz de futsal contra o jogador no juizado especial criminal, podendo acarretar em mais punições, como explica Fábio Santos, advogado do acusador.

– O Marcos recebeu um laudo de afastamento de 30 dias e o segundo, que ainda sairá, vai informar se ele vai ficar mais tempo afastado ou se volta ao trabalho. Se afastar por mais um dia sequer, o processo será obrigado a sair da juizado especial criminal e vai pra justiça comum, que julga crimes de maior gravidade. Ele deve passar por uma avaliação em 20 dias que dirá se seguirá afastado ou se poderá voltar, enquanto isso, esperaremos – diz.

Comentários