Despacho que autoriza geração será publicado nesta sexta no Diário Oficial.
Energia gerada por 1ª máquina será direcionada ao sistema Acre-Rondônia.

G1

A usina hidrelétrica Jirau, no rio Madeira, em Porto Velho (RO), recebeu autorização nesta quinta-feira (5) da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para entrar em operação comercial e gerar energia para o sistema elétrico do país. A usina estava operando em regime de teste desde agosto do ano passado.

Vista aérea da usina de Jirau, no rio Madeira, em Porto Velho (Foto: Divulgação)
Vista aérea da usina de Jirau, no rio Madeira, em Porto Velho (Foto: Divulgação)

A Aneel já expediu o despacho que autoriza a operação comercial da primeira turbina da usina, mas a autorização precisa ser publicada no Diário Oficial da União para entrar em vigor, o que deve ocorrer na edição de sexta-feira, segundo a agência. A partir de então, a empresa passa a ser remunerada pela energia fornecida ao sistema interligado nacional (SIN).

A primeira máquina da hidrelétrica a operar comercialmente será a unidade geradora 29 – de um total de 50 que compõem o projeto, sendo cada uma com capacidade de 75 megawatts (MW) -, informou em nota a Energia Sustentável do Brasil.

De acordo com o cronograma do empreendimento, serão colocadas em operação entre 6 e 10 unidades geradoras da usina ainda neste ano.

A energia gerada pela primeira máquina será toda direcionada ao sistema Acre-Rondônia. Quando a linha de transmissão do Madeira estiver pronta para operar comercialmente, a energia produzida pela usina será escoada para a região Sudeste.

“Conseguimos colocar a primeira unidade em operação comercial no prazo recorde de 34 meses de obra, descontado o período em que a obra ficou paralisada”, afirmou, em comunicado, o diretor presidente da ESBR, Victor Paranhos.

Capacidade para abastecer a mais de 10 milhões de residências
A Energia Sustentável do Brasil é formada pela GDF Suez (60%), Eletrosul (20%) e Chesf (20%), essas duas últimas do grupo Eletrobras.

A usina terá potência instalada de 3.750 MW, suficiente para abastecer a mais de 10 milhões de residências, quando estiver totalmente concluída.

Jirau é uma das principais obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), e a maior usina hidrelétrica do mundo operando com turbinas do tipo bulbo.

Jirau será a quarta maior hidrelétrica do país em capacidade total de geração, ficando atrás da binacional Itaipu, que tem 14 mil MW de capacidade, Belo Monte, que ainda está em construção e terá capacidade instalada de 11.233 MW, e da usina de Tucuruí, no Pará, que possui capacidade de 8.535 MW.

 

Comentários