ANP licita blocos de exploração de gás natural no Acre

Em agosto, o ministro Edison Lobão (Minas e Energia) havia informado ao deputado Marcio Bittar (PSDB-AC) que a ANP licitaria as áreas a partir de 29 de outubro A Agência...

Em agosto, o ministro Edison Lobão (Minas e Energia) havia informado ao deputado Marcio Bittar (PSDB-AC) que a ANP licitaria as áreas a partir de 29 de outubro

A Agência Nacional do Petróleo (ANP) licita hoje e amanhã, no Windsor Hotel, no Rio, um total de 240 blocos exploratórios terrestres com potencial para gás natural em sete bacias sedimentares em 12 Estados. O Acre é um dos Estados que integram a licitação, informou a assessoria de imprensa da ANP.

As áreas em licitação estão localizadas no Acre, Amazonas, Tocantins, Alagoas, Sergipe, Piauí, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Maranhão, Paraná e São Paulo. Elas totalizam 168.348,42 Km², segundo a ANP.

Em agosto, o ministro Edison Lobão, das Minas e Energia, havia informado ao primeiro-secretário da Câmara, deputado Marcio Bittar (PSDB-AC), que a ANP deveria licitar os blocos para pesquisas exploratórias na Bacia do Acre, no Alto Juruá, a partir do dia 29 de outubro. No mês de abril, Bittar pediu à ANP e a Lobão ANP informações detalhadas sobre as pesquisas da agência no Acre para a prospecção de petróleo e gás natural em território acreano.

Na resposta a Bittar, a ANP explica que já investiu R$ 60 milhões na Bacia do Acre em estudos de aerolevantamento geofísico, levantamento geoquímico, processamento sísmico e levantamento sísmico 2D. Tais estudos, conforme a Agência, “são métodos indiretos de investigação, que comprovam a existência de condições propícias à geração e à acumulação de petróleo e gás natural” nas áreas pesquisadas no Acre.

Gás e óleo fino detectados

A ANP detectou gás natural e óleo fino na região do Vale do Juruá. Essas descobertas teriam ocorrido a partir de pesquisas iniciadas em 2007. Os estudos teriam identificado gás nos municípios de Cruzeiro do Sul, Mâncio Lima, Rodrigues Alves, Marechal Thaumaturgo e Porto Walter.

Ainda na resposta a Bittar, o ministro Edison Lobão afirma que, de julho de 2012 até março deste ano, os pesquisadores da ANP deram sequência ao levantamento sísmico 2D. Diz ele que, mesmo ainda carecendo de processamento, os dados já coletados indicam que “parte da Bacia Sedimentar do Acre reúne condições geológicas favoráveis à geração e acumulação de hidrocarbonetos”.

Conforme Lobão, “a presença de petróleo e a quantidade necessária para tonar a descoberta comercial somente serão confirmadas com a perfuração de poços exploratórios”. Também na resposta, o ministério afirma que a implantação da infraestrutura necessária ao desenvolvimento e produção de eventuais campos produtores no Acre, só poderá ser dimensionada com a descoberta de novas acumulações comerciais. Diz também o ministro que “ainda são necessários estudos detalhados para melhor entendimento da bacia e de seu potencial petrolífero”.

 

Assessoria

Comentários