Elias Moreira de Araújo tem o sonho de ser professor. Ele já tinha bacharelado em filosofia e resolveu fazer licenciatura.

Elias de Araújo recebeu o canudo das mãos da mãe Maria do Carmo, de 84 anos, na quinta (10), na Ufac — Foto: Maik Araújo/Arquivo pessoal
Por Aline Nascimento e Iryá Rodrigues, G1 AC — Rio Branco

Aos 63 anos e com Parkinson e diabetes, o idoso Elias Moreira de Araújo não se importou com as limitações e conseguiu concluir a faculdade de filosofia licenciatura.

A colação de grau dele ocorreu na última quinta-feira (10) na Universidade Federal do Acre (Ufac) e quem entregou o canudo foi a mãe Maria do Carmo, de 84 anos.

Os sintomas do Parkinson começaram a aparecer durante a faculdade. Com o tempo, Elias precisou parar de dirigir carro e moto, mas isso não o desanimou, e ele começou a ir para as aulas de ônibus.

“Foi um momento muito bom, porque, mesmo com essa dificuldade toda que tenho, não desisti. Sempre digo para os mais jovens: ‘vejam minha situação e, mesmo assim, estou estudando’. E tem outra coisa, vou correr atrás de outro canudo. Ainda tenho esperança de ser professor”, disse o idoso.

Aos 63 anos, idoso com Mal de Parkinson se forma em filosofia em Rio Branco — Foto: Maik Araújo/Arquivo pessoal

Araújo trabalhou como contador por mais de 40 anos, também já se formou bacharel em Filosofia, mas resolveu cursar licenciatura e entrou no curso em 2013. Ele diz que concluiu a faculdade em 2017, mas, devido às condições de saúde, acabou não conseguindo colar grau naquele ano.

“Eu não me entrego, estou consciente de tudo que faço, graças a Deus. Já estou é com saudades da Ufac e de olho em fazer outro curso ou mestrado. Mesmo com todas essas dificuldades, estou satisfeito. Não sou materialista, sou espiritualista”, falou.

Comentários