Após liberação da BBOM, MPF recomenda aos consumidores que tenham cautela

Após a liberação das atividades da BBOM, a Procuradoria da República em Goiás recomendou aos consumidores que tenham cautela. A empresa anunciou um “novo modelo” de negócios, que ainda será...

Após a liberação das atividades da BBOM, a Procuradoria da República em Goiás recomendou aos consumidores que tenham cautela. A empresa anunciou um “novo modelo” de negócios, que ainda será implantado. O MPF-GO orienta que as pessoas fiquem atentas antes de fazer adesão ao novo plano.

“Não se trata de condenar de antemão as novas atividades da BBOM, mas tendo em vista o histórico da empresa, o consumidor deve tomar cuidado e ser parcimonioso. Deve buscar, aliás, deve exigir da BBOM informações claras a respeito do negócio”, esclarecem os procuradores da República Mariane Guimarães e Helio Telho.

Segundo o MPF-GO, o que se espera é que esse novo modelo “esteja pautado na boa-fé, transparência, moralidade e, principalmente, legalidade”.

A decisão liminar proferida pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região autorizou a liberação de verbas da BBOM para o pagamento de dívidas trabalhistas e tributárias devidamente comprovadas, bem como para pagar água, luz e material de expediente, necessários para o funcionamento da empresa. Além disso, autorizou, ainda, a reabertura da empresa apenas nas modalidades de venda direta dos rastreadores (a exemplo do que ocorre com empresas como a Natura e a Avon) e de bonificação por indicação de consumidor final do produto.

Com informações do MPF-GO

Comentários