Daniel negou o crime e culpou o ex-companheiro da venezuelana – Foto: Alexandre Lima

Um crime bárbaro ocorrido no estado de Roraima (RR), no interior de Boa vista no mês de julho passado, chocou os moradores após descobrirem que uma venezuelana, identificada como (…) de 23 anos e grávida de seis meses, foi assassinada e enterrada numa cova rasa atrás de uma casa.

O principal suspeito seria um argentino com quem estaria convivendo, identificado como Daniel Nestor Guszman (32). A venezuelana identificada como Betzabth Miguelina Adam Daza (23), que estava grávida de seis meses, foi encontrada enterrada na na chácara na região do Bom Intento, zona Rural de Boa Vista, pelos proprietários.

Delegado Karlesso Nespoli está tratando dos trâmites para transferir argentino para o presídio FOC na capital – Foto: Alexandre LIma

Daniel não foi encontrado e passou a ser o principal suspeito do crime. Foi quando na manhã desta quarta-feira, dia 12, os agentes federais do posto de imigração localizado na cidade de Assis Brasil, extremo norte do Acre na fronteira com o Peru, detiveram o argentino tentando entrar em solo brasileiro.

Ao buscar o sistema internacional quem seria Daniel, descobriram que havia um mandado de prisão contra sua pessoa em aberto. O mesmo foi detido e conduzido para a delegacia da cidade de Epitaciolândia, onde seria ouvido pelo delegado e posteriormente transferido para o presídio FOC na capital.

Daniel negou as acusações e disse que não sabia do crime contra a mulher e que provavelmente teria sido o ex-esposo que cometera o assassinato. De poucas palavras, disse que só falaria na presença de um advogado que seria disponibilizado pela justiça brasileira.


Matérias relacionadas:

Marido é suspeito de matar a mulher e enterrar o corpo

Comentários