Conecte-se conosco

Geral

Assaltante baleado em troca de tiros ao tentar assaltar é preso na Capital

Publicado

em

Investigadores da Delegacia de Combate a Roubos e Extorsões (DCORE), prenderam na manhã desta quarta-feira, 1, numa residência situada na Travessa Moisés, no bairro Quinze, Tiago da Silva Prado, de 19 anos.

Ele é acusado de no dia 11 de outubro de 2020, na companhia de Jonh Francalino da Silva, de 23 anos e mais dois, tentar assaltar uma comércio localizado nas proximidades do Estádio Adauto Brito da Frota, de propriedade do Atlético Acreano.

Os acusados foram contidos por um policial à paisana que estava no local e reagiu. Depois de passar pela especializada, Tiago foi transferido para a DEFLA, onde será recolhido o presídio por crime de tentativa de homicídio e roubo tentado.

Depois de uma breve troca de tiros, Tiago Prado, John Francalino e um terceiro acabaram sendo baleados e encaminhados ao pronto-socorro, onde foram presos em flagrante. Pelo fato do seu caso ter considerado mais grave, Tiago ficou em liberdade. Como sua prisão preventiva foi decretada no início da semana, na manhã desta quarta investigadores da DCORE deram cumprimento ao mandado.

Comentários

Geral

Polícia Militar prende em Rio Branco acusado de matar o próprio pai com tiro de espingarda

Publicado

em

O foragido da Justiça do Acre Jhonatan Lima da Silva, de 29 anos, foi preso por policiais militares em Rio Branco. A ação da PM ocorreu na noite de quinta-feira, 11, no bairro Tancredo Neves. Jhonatan Lima teve a prisão preventiva expedida pelo Juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditória Militar, Alesson Braz.

O preso é acusado pelo crime de homicídio. A vítima, João Batista Gomes da Silva (foto), de 54 anos, que era pai do acusado. O crime aconteceu na noite de 7 de julho de 2019 em uma propriedade rural localizada no quilômetro 6 da Estrada de Porto Acre, zona rural de Rio Branco.

Na época, Jhonatan disse que teria confundido o pai com um assaltante, já que o local estava muito escuro. Só depois fazer o disparo o acusado descobriu que a vítima era seu pai. Logo em seguida ele fugiu.

Depois de ouvido na sede da Delegacia de Flagrantes, Jhonatan Lima foi encaminhado ao presídio.

Comentários

Continue lendo

Geral

Desde 2006, o Acre não tinha uma eleição com tantos candidatos ao governo

Publicado

em

A corrida pela cadeira no Palácio Rio Branco nas eleições de 2022 já conta com as sete candidaturas registradas na Justiça Eleitoral e com as informações disponíveis na página Divulgacandcontas. Desde o ano de 2006, a disputa não tinha tantos concorrentes.

Naquele ano, disputaram a eleição, Binho Marques, do PT, (eleito); Marcio Bittar (PPS); Tião Bocalom (PSDB); José Wilson (PSOL); Edvaldo Guedes (PAN); Benício Dias (PSDC); e José Aleksandro (PRONA).

Em 2022, David Hall (Agir), Sérgio Petecão (PSD) e Nilson Euclides (PSOL), Jorge Viana (PT), Mara Rocha (MDB), Márcio Bittar (União Brasil) e Gladson Cameli (PP), que concorre à reeleição, são as opções postas ao eleitorado acreano.

Dos nove possíveis candidatos ao Senado da República, apenas três apresentaram registro até o momento: Dimas Sandas, do AGIR; Vanda Milani, do PROS (Coligação COM A FORÇA DO POVO); e Sanderson Moura, do PSOL (Federação PSOL/REDE).

Dos sete candidatos ao governo que estão aguardando julgamento, apenas Jorge Viana, da Federação Brasil da Esperança, que reúne PT, PCdoB e PV, ainda não apresentou o plano de governo à Justiça Eleitoral.

Em nota, a Federação informou que o documento está em fase final de elaboração e lembrou que o prazo para envio deste à Justiça Eleitoral é até 15 de agosto.

“Os compromissos de Jorge Viana e Marcus Alexandre são sérios e verdadeiros, por isso elaborados com cuidado, competência e responsabilidade. Então, estão sendo organizados nas diretrizes de governo que apresentaremos no prazo da Justiça Eleitoral, sem preocupação com eventuais maldades de adversários”, diz a nota.

Comentários

Continue lendo

Geral

TRE-AC celebra 47 anos de instalação

Publicado

em

Ao longo desse tempo, a Corte Eleitoral acreana se destaca pela credibilidade na condução do processo eleitoral no estado

Ao longo desse tempo, a Corte Eleitoral acreana se destaca pela credibilidade na condução do pro...

Muito mais do que o dia de instalação do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC), 11 de agosto é um marco para a população acreana por poder escolher o futuro do estado, pelo direito de se fazer representado, pela democracia.

Neste dia, em 1975, foi realizada a instalação do Tribunal Regional Eleitoral do Acre, que teve como primeiro Presidente o Des. Carlos Alves Cravo. Ao longo de 47 anos de existência, foram muitas conquistas alcançadas por esta Justiça Especializada em prol do aprimoramento da democracia no Brasil.

Atualmente, sob a gestão do Presidente, Desembargador Francisco Djalma, a Corte Eleitoral acreana é composta por 7 membros titulares e 7 suplentes, além de 109 servidores efetivos e 61 requisitados, distribuídos entre a Secretaria do Tribunal e nove Zonas Eleitorais em todo o estado.

“No decorrer da história, a Corte Eleitoral promoveu inúmeras ações para ampliar o acesso ao direito de votar e ser votado e garantir a efetividade da vontade popular expressada pelas urnas”, destacou o Presidente do TRE-AC, Desembargador Francisco Djalma.

História

São diversas as datas que marcaram a história acreana, mas o dia 11 de agosto de 1975 foi particularmente especial para a Justiça deste estado. Anunciava-se, enfim, a instalação efetiva do TRE-AC, que teve como primeiro Presidente o Des. Carlos Alves Cravo. A Corte Eleitoral era composta por dois desembargadores, dois Juízes de Direito e um Juiz Federal. O Ministério Público Eleitoral estava representado pelo Procurador da República Substituto Jersey Nazareno de Brito Nunes. No dia seguinte, o Presidente em exercício do Tribunal de Justiça, Des. Fernando de Oliveira Conde, encaminhou o OF./N. 392/75 ao TSE, contendo a relação dos Desembargadores empossados, e, em anexo, as listas tríplices para a escolha dos juízes oriundos da OAB, tendo sido escolhidos os advogados Aloísio Macêdo Maia e Walder Gomes da Costa.

Evolução

O gigantesco salto dado pela Justiça Eleitoral do Acre, no decorrer destes 47 anos, deve-se ao trabalho sério empreendido pelos seus Presidentes, Membros da Corte e por todas as servidoras e servidores, efetivos e requisitados, que através de seu trabalho, como verdadeiros bandeirantes, ajudaram a construir e consolidar a democracia em todo país.

Comentários

Continue lendo

Em alta