Momento do julgamento de Sidinei, acusado de matar o treinador Calixto a golpes de facão.
Alexandre Lima

O crime que aconteceu no dia 12 de junho passado, no bairro Laranjal em Xapuri, o acusado Sidnei Campos de Almeida (19), vulgo “Caboco”, foi levado a júri popular, sob a acusação de ter matado por por motivo fútil e com recurso que dificultou a defesa da vítima, o senhor Calixto Alves de Oliveira.

Seu Calixto, foi morto por ‘Caboco’ após discussão.

A vítima era um conhecido treinador de futebol do município de Xapuri. No dia do crime, a vítima teria um almoço em sua residência, onde o acusado foi um dos convidados. No final da festa, ficaram o acusado, a vítima e a testemunha Romário, ocasião em que, a testemunha foi se deitar.

Em seguida, ouviu uma discussão entre vítima e acusado, discussão teria sido movida pelo desaparecimento do celular, onde o acusado era suspeito de ter furtado. Caboco saiu da casa e retornou mais tarde para cometer o crime.

Sidnei tirou a vida da vítima quando a mesma encontrava-se dormindo o atingindo com cerca de nove golpes de terçado (facão) na cabeça. Em seguida, o acusado cortou o pescoço da mesma. O acusado foi localizado e preso na zona rural do Município de Assis Brasil, exatamente um mês depois do crime que chocou os moradores de Xapuri.

Momewnto da leitrua da sentença após o julgamento que durou apenas três horas.

O julgamento durou apenas 3 horas, onde o réu foi condenado por unanimidade, a cumprir a pena de 20 anos de reclusão em regime fechado.

A parte emocionante do julgamento, foi quando o Promotor de Justiça, Antonio Alceste Callil de Castro, na hora de sua acusação, homenageou a vítima ficando todo tempo de sua fala, descalço. Pois, era como a vítima sempre andava, de pé no chão, deixando a plateia e jurados comovidos.

Matérias relacionadas:

Suspeito de matar homem enquanto dormia em Xapuri é procurado pelas autoridades

Assassino de treinador de futebol em Xapuri é preso enquanto dormia na zona rural de Assis Brasil

Comentários