Instituição prevê liberação para o Estado que chegarão a R$ 300 milhões em 2017

Alexandre Lima com Marcus José

A instituição bancária Banco da Amazônia S/A, reuniu na cidade de Brasiléia, um grande grupo de empresários das mais diversas áreas, para fazer o pronunciamento de investimentos na área do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte – FNO, cuja viabilização se dá por meio de financiamento a investimento fixo e misto (capital de giro associado a investimento fixo), ou capital de giro para os empreendimentos na área de:

  1. a) agroindústria;
  2. b) indústria;
  3. c) infraestrutura não governamental;
  4. d) infraestrutura econômica de empresas públicas não dependentes de transferências financeiras do Poder Público, cujos empreendimentos a financiar sejam considerados prioritários para a economia, em decisão do Conselho Deliberativo da SUDAM;
  5. e) turismo;
  6. f) comércio;
  7. g) prestação de serviços;
  8. h) cultura; e
  9. i) produção de bens manufaturados e semimanufaturados destinados, exclusivamente à exportação.

O Programa visa contribuir para o desenvolvimento econômico e social da Região Norte pautado em bases sustentáveis, apoiando empreendimentos não rurais, a partir da concessão de financiamentos adequados às reais necessidades dos setores produtivos.

Esteve evento contou com a presença do vice-prefeito Carlinho do Pelado, onde destacou a importância do Basa na regional do Alto Acre, que está gerando desenvolvimento e renda com o FNO. Já o gerente na cidade de Brasiléia, Zileno Farias, “esta é uma forma mesmo em tempos de crise, dinamizar o crédito tanto aqui na regional, quanto em toda a região Norte do Brasil. Além de dinamizar o crédito para esses produtores”, destacou.

Zileno pede que o pequeno e médio produtor se organize e venha procurar o Basa, que poderá ter a certeza que algum crédito estará disponível para que possa ser liberado através do Fundo Constitucional de Financiamento do Norte – FNO.

A rota do Basa na regional, visa o empreendedorismo, gerando o desenvolvimento, emprego e renda na regional Norte. André Vargas, superintendente no estado do Acre, falou que, “a meta é criar instrumentos de aplicação dos quase R$ 28 milhões disponíveis somente para a regional do Alto Acre e depois, em outras regiões do Estado. O Banco está se apresentando para os empresários, produtores e parceiros para que possamos avançar na aplicação de recursos para este ano de 2017, onde temos planos que podem em quase R$ 280 milhões”, destacou.

Veja vídeo reportagem.

Comentários