Base e oposição trancam pauta e projetos do governo não são votados

Da redação, com Fábio Pontes Os deputados da base e da oposição decidiram unir forças nesta terça para brecar a votação de projetos de lei enviados pelo governo ainda na...

Da redação, com Fábio Pontes

Os deputados da base e da oposição decidiram unir forças nesta terça para brecar a votação de projetos de lei enviados pelo governo ainda na segunda (4) em regime de urgência. Ao todo, 13 parlamentares estão decididos a não liberarem a pauta do plenário enquanto não for aprovada a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) das emendas impositivas, matéria sem o aval do Palácio Rio Branco.

Neste fim de semana, Agazeta.Net mostrou que a base de Tião Viana (PT) na Aleac (Assembleia Legislativa do Acre) se articulava para obstruir a pauta, como retaliação ao posicionamento contrário do líder do PT, Geraldo Pereira, em seu relatório na comissão especial da PEC.

Entre os projetos trancados pelos parlamentares está o mais novo pedido de empréstimo no valor de R$ 16 milhões junto ao BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social).

Na sessão desta terça, 5, a PEC voltou a ser debatida. O seu autor, José Luiz Tchê (PDT), defendeu a proposta e negou que ocorram prejuízos ao Orçamento do Estado por já haver a destinação de 1% das receitas para este pagamento, mas com o governo não o liberando. “A emenda vai apenas tornar obrigatório aquilo que já está em nossa Constituição”, diz Tchê.

O grupo dos deputados governistas rebelados estão principalmente no “baixo-clero” da Aleac, grupo com pouca atuação política na Casa, evitando a exposição pública. Os deputados estão descontentes com a relação com o Palácio Rio Branco, usando as votações como principal meio para forçar concessões.

Comentários