Bolívia espera que governo brasileiro se pronuncie sobre proibição a avião de Morales

O embaixador da Bolívia no Brasil, Jerjes Justiniano Talavera, apelou hoje (3), em entrevista exclusiva à Agência Brasil, que o governo brasileiro se manifeste sobre a proibição do avião do presidente boliviano, Evo Morales, de sobrevoar os espaços aéreos de Portugal, da França, da Itália...

0

O embaixador da Bolívia no Brasil, Jerjes Justiniano Talavera, apelou hoje (3), em entrevista exclusiva à Agência Brasil, que o governo brasileiro se manifeste sobre a proibição do avião do presidente boliviano, Evo Morales, de sobrevoar os espaços aéreos de Portugal, da França, da Itália e da Espanha. O diplomata disse que, como “país irmão” da Bolívia, o Brasil deve mostrar sua solidariedade ao que chamou ato de “prepotência imperialista”.

“Esperamos a solidariedade do governo brasileiro. Esperamos um pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff a exemplo de outros presidentes da região que se manifestaram em apoio ao presidente Morales”, ressaltou o embaixador. “Queremos o apoio do Brasil”, disse ele. “O que houve foi um ato de descortesia com o nosso presidente e de violação internacional. Foi uma atitude de prepotência. Mas temos dignidade e grandeza.”

Desde ontem (2), o assunto é examinado pela Presidência da República do Brasil e o Ministério das Relações Exteriores. Assessores de Dilma examinam a hipótese de haver uma declaração formal de repúdio à proibição pela União de Nações Sul-Americanas (Unasul), que reúne 12 países da região.

O tema está sendo conduzido pelo assessor especial para Assuntos Internacionais da Presidência da República, Marco Aurélio Garcia.

Ontem o avião de Morales foi proibido de ingressar nos espaços aéreos de Portugal, da França, da Itália e da Espanha porque havia suspeitas de que o ex-agente norte-americano Edward Snowden estivesse a bordo. Morales foi obrigado a desviar a rota e aguardar autorização para seguir viagem, em Viena, na Áustria.

Nos Estados Unidos, Snowden é acusado de espionagem e está na Rússia esperando a concessão de asilo político. O ex-agente denunciou que os norte-americanos monitoravam e-mails e ligações telefônicas de cidadãos dentro e fora do país. Há, ainda, informações que comunicações da União Europeia também foram monitoradas. O norte-americano pediu asilo a 21 países, inclusive ao Brasil.

Para o embaixador boliviano, é fundamental que não só a Unasul se manifeste sobre o episódio de veto do avião de Morales, mas também a Cúpula do Mercosul, no próximo dia 12, em Montevidéu, no Uruguai. “Foi um ato de violação não apenas à Bolívia, mas a todos os latino-americanos, principalmente os países menores. É uma agressão a todos nós”, disse o diplomata.

Agência Brasil

Comentários

Assuntos desta notícia