O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta terça-feira (22) a recontagem de votos na eleição da Bolívia.

Bolsonaro está no Japão e, ao conceder uma rápida entrevista, disse ter dado “sinal verde” para o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, questionar a apuração.

A contagem preliminar, interrompida na noite de domingo, foi retomada nesta segunda (21) e chegou a apontar vantagem suficiente para garantir a vitória de Evo Morales no primeiro turno, mas depois a diferença diminuiu, e o resultado era incerto até a publicação desta reportagem.

“A OEA [Organização dos Estados Americanos] emitiu uma nota colocando em xeque a lisura das eleições. Conversei com o Ernesto, acho que ele fez a mesma coisa, dei sinal verde para ele fazer. […] Realmente, foi muito suspeito como estava caminhando. Quase na retal final, a suspensão da apuração. Depois da retomada, deu vitória à situação. Acho que todo mundo fica preocupado com uma eleição sendo apurada dessa maneira”, declarou.

O presidente, então, foi questionado se defende uma nova apuração e respondeu: “Com as informações que tenho até o momento, seria bom uma revisão da apuração, uma recontagem de votos.”

Desde que tomou posse, em janeiro, Bolsonaro se envolveu em uma série de polêmicas envolvendo líderes de outros países.

Além das críticas frequentes que faz aos governos de Cuba e da Venezuela, o presidente também se envolveu em polêmicas com líderes de França, Alemanha, Noruega e Chile e com um candidato a presidente da Argentina.

Comentários