amazonas_adota_plano_contra_queimadas__2892010-175937-1Com o início do período de estiagem, a população sofre com alguns problemas, como a baixa umidade do ar e as queimadas, que causam vários problemas de saúde. Por isso, o Corpo de Bombeiros Militar do Acre (CBMAC) orienta a população para evitar pôr fogo em quintais.

Segundo a Defesa Civil Estadual, cerca de 98% dos registros de queimadas são referentes à área urbana, e o foco maior está nos municípios de mais concentração populacional, como Rio Branco, Tarauacá e Cruzeiro do Sul. Na área rural, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) realiza um trabalho específico de fiscalização e orientação.

“O pico dos registros de focos de incêndios é no mês de agosto, pois os próprios donos dos terrenos colocam fogo e depois, quando as chamas avançam além do previsto, não chamam os bombeiros”, explica o coordenador da Defesa Civil, coronel Carlos Batista.

Segundo ele, ainda que na zona urbana não seja permitido nenhum tipo de queimada, com a compreensão da população é possível minimizar perdas materiais e danos ambientais, além de evitar prejuízos à saúde com a inalação de fumaça.

O Corpo de Bombeiros conta com kits de combate aos incêndios florestais, compostos por luvas de segurança em couro, óculos de proteção fabricados em PVC, máscaras tipo lenço para combate, capacetes, abafadores contra incêndio, pinga-fogo com tanque de aço inoxidável, enxadas em aço especial, limas-chatas, foice em aço carbono especial, botina de segurança, mochilas costais para combate com tanque flexível e facões (terçados) 128.

Comentários