Comandante Geral da Polícia Nacional Boliviana esteve presente no evento em Cobija, capital de Pando/Bolívia.
Alexandre Lima

Durante a parte da manhã desta segunda-feira, dia 26, o alto comando da Policia Nacional Boliviana, comemorou na cidade de Cobija, capital do estado de Pando/Bolívia, o aniversário de 191 anos de fundação da Instituição no País.

Governador de Pando, Luis Flores, recebido pelo comandante da Polícia Nacional durante passagem pelas tropas.

O evento contou com a presença de autoridades políticas do Estado, comandantes das forças armadas boliviana e convidados brasileiros, como o Secretário de Segurança Pública do Acre, Emylson Farias que recebeu a Medalha de Ouro, a mais alta condecoração da instituição, juntamente com delegados Nilton Boscaro e Roberto Lucena, Superintendente da Polícia Federal no Acre, Chang Fan, o comandante do do 4º Bis, Coronel Wellington Valone Barbosa e Capitão Andeson Veras da Silva, Comandante  da Companhia de Fronteira e o Major da Polícia Militar do Acre, Estene Barbosa Teixeira.

Secretário de Segurança Pública do Acre, Emylson Farias, recebendo homenagem.

Outras autoridades, como o governador de Pando Luis Flores, prefeito de Cobija, Gatty Ribeiro, além de vereadores e deputados, foram agraciados com medalhas e estatuetas, pela importante colaboração com a instituição nos últimos anos.

O aniversário da Instituição que é unificada no País, contou com um grande desfile envolvendo todas as forças após as condecorações oferecidas. O secretário de segurança do Acre, Emylson Farias falou em nome dos colegas, “Estamos felizes em receber essa condecoração. Essa parceria entre o Acre e o governo de Pando, é importante no combate ao tráfico e outros delitos e queremos manter essa união por muito tempo. Quero compartilhar com todos os acreanos essa homenagem que foi conquistada através de um trabalho conjunto entre nossas instituições”, disse.

Da esquerda para a direita, delegados de polícia civil do Acre, Nilton Boscaro e Roberto Lucena, homenageados pela Polícia Nacional Boliviana.

VEJA HISTÓRICO*

A Constituição da República da Bolívia de 24 de junho de 1826, promulgada durante o governo do Presidente Antonio José de Sucre, estabeleceu normas reguladoras da atividade policial. Criou em cada Departamento um Intendente de Polícia, nomeado pelo governo e três ou quatro Comissários de Polícia, subordinados aos Intendentes e pagos pelos cofres públicos.

Mais tarde, em 3 de maio de 1831, o Presidente Santa Cruz, através de um Regulamento de Polícia vai sistematizar e aperfeiçoar as normas oriundas da Constituição.

Em 1832 a gendarmeria deixou o seu estatuto militar para organizar-se como um corpo civil, adaptando-se à esfera do Ministério do Interior.

Os Comissários Principais, em 22 de novembro de 1851, assumem funções anteriormente atribuídas pelo regulamento aos Intendentes de Polícia.

Em 1861 a policía em La Paz foi dividida em dois distritos, um sob as ordens do Intendente de Polícia e o outro do Comissário Principal, ambos auxiliados, em cada distrito, por seis Comissários e trinta agentes que se revezavam em turnos de 24 horas.

Durante o Governo de Gregório Pacheco foi sancionada a Lei Regulamentar da Polícia de Segurança, de 11 de novembro de 1886, destinada à manutenção da ordem pública, a preservação das garantias pessoais e patrimoniais, a prevenção dos delitos e a captura de delinqüentes para apresenta-los à justiça.

A Escola de Polícia foi criada de 20 de dezembro de 1923, para a instrução e educação de candidatos às Polícias da República.

A unificação da direção de todas as unidades de polícia do país surge com o decreto de 28 de julho de 1930, que criou a Direção Geral da Polícia da República, subordinada ao Ministério do Governo.

Uma missão italiana constituída por integrantes dos “Carabinieri” foi convidada para colaborar com a modernização da polícia boliviana, notadamente, dos regimentos de carabineiros existentes.

A fusão da Polícia de Segurança com os regimentos de carabineiros foi implementada pelo Governo em 18 de janeiro de 1937, passando a nova corporação a denominar-se Carabineiros da Bolívia. Nova lei de 14 de novembro de 1950 reafirma a natureza única da organização policial, com disciplina militar, incumbida da defesa nacional e da ordem pública, sob o comando supremo do Chefe da Nação.

Atualmente a Polícia Nacional da Bolívia tem a sua constituição regulada pela Lei Orgânica de 18 de dezembro de 1961 e exerce a função policial em todas as suas modalidades, tanto como polícia ostensiva como polícia judiciária, submetendo-se ao comando do Presidente da República por intermédio do Ministro do Governo.

Fonte: Wikipédia*

 

 

Comentários