Crianças com idade entre seis meses e menores de cinco anos devem ser imunizadas. Estado recebeu cerca de 55 mil doses da vacina para também imunizar população que ultrapassa a faixa etária.

Campanha de vacinação contra sarampo começa na segunda-feira (7). — Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Por Alcinete Gadelha, G1 AC — Rio Branco

Crianças com idade entre seis meses e menores de cinco anos devem ser imunizadas contra o sarampo.

A Campanha Nacional de Vacinação contra a doença começa nesta segunda-feira (7) e vai até o dia 25 de outubro. No Acre, 22 mil crianças dessa faixa etária devem ser imunizadas, segundo informou a Secretaria Estadual de Saúde.

Esta primeira etapa da ação é chamada de Dose Zero. Depois, na segunda fase da campanha, entre os dias 18 e 30 de novembro, o foco será os adultos jovens, com idade entre 20 e 29 anos.

O estado recebeu cerca de 55 mil doses da vacina para, além das crianças, também imunizar populações que ultrapassaram a faixa etária e ficaram desprotegidas. E já prevendo também a segunda etapa da campanha que começa em novembro.

A gerente do Núcleo do Programa Estadual de Imunização, Renata Quilles, informou que as faixas etárias foram escolhidas porque a incidência da doença está concentrada nesses dois públicos, crianças e adultos jovens.

“Hoje, nós temos no país 18 estados apresentando casos confirmados da doença, mas, no Acre, não temos nenhum confirmado. E de todos os casos suspeitos, até o momento, foram liberados como negativos”, pontua.

Além disso, Renata diz que é importante que o público compareça para que o estado continue sem o registro de casos da doença. Ela acrescenta que as vacinas já estão sendo distribuídas e vão estar disponíveis em todas as unidades de saúde dos municípios.

Além disso, vão ser disponibilizadas doses da vacina contra a poliomielite. “Nós percebemos que existe um público muito grande de crianças que não voltaram para fazer o reforço”, informa.

Sintomas da doença

Os sintomas gerais do sarampo são febre, mal-estar, tosse e as feridas que aparecem no corpo.

“A gente pede que a população, diante da suspeita do sarampo, não se ausente de casa. Evite ir ao trabalho, escola por pelo menos quatro dias, pelo menos até que se investigue a doença porque ela é de fácil contágio”, explica Renata.

As pessoas mais acometidas da doença são as crianças menores de cinco anos e o público de 20 a 29 anos.

Baixa cobertura vacinal

O Acre, em 2018, teve um dos piores índices de cobertura vacinal do Brasil e ficou em 22º lugar, segundo dados do Ministério da Saúde. Com esses números, o calendário vacinal das crianças vai ser obrigatório no momento da matrícula em escolas da rede pública tanto do estado como do município.

MP-AC apresenta estratégias para melhorar cobertura vacinal no Acre — Foto: Alcinete Gadelha/G1

A medida faz parte de estratégias conjuntas do Ministério Público do Acre (MP-AC), por meio da Promotoria Especializada e Defesa da Saúde, que foram apresentadas no último dia 25 de setembro.

As ações devem ser desenvolvidas em conjunto com a Secretaria Estadual e Municipal de Saúde e Secretaria de Educação de Rio Branco, além do apoio do Conselho Regional de Medicina (CRM) e Sindicato dos Médicos.

Volta de doenças

Renata Quilles disse que no Brasil e, consequentemente no Acre, nos últimos cinco anos, houve uma tendência de queda nas coberturas vacinais. Ela falou que o principal público que está desprotegido são crianças.

“Nós identificamos que, hoje, não temos doenças circulando que causam impacto. Isso traz uma falsa segurança aos pais de que não há necessidade de vacinar. Com isso, a cobertura vem caindo. E o que aconteceu? Reintrodução do sarampo no país, uma doença que mata crianças”, lamentou.

Doenças como difteria, poliomielite, caxumba, rubéola, meningites, pneumonias, influenza são algumas doenças que podem ser prevenidas através da vacinação, segundo Renata.

Comentários