Conecte-se conosco

Brasil

CÂNCER DE MAMA: A Atenção Primária à Saúde garante o acesso das mulheres à detecção precoce da doença

Publicado

em

Na Atenção Primária à Saúde é possível realizar o exame clínico da mama e a solicitação de exames para rastreamento e confirmação diagnóstica da doença. Especialistas apontam que o diagnóstico precoce do câncer de mama aumenta as taxas de sucesso do tratamento

Foto: Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO)

Mais mulheres têm acesso aos serviços de Atenção Primária à Saúde (APS) no Brasil. O número de usuárias cadastradas na Atenção Primária aumentou de 57 milhões, em 2019, para quase 84 milhões em 2021. E alguns dos  serviços ofertados nesse nível de atenção são a solicitação de mamografia de rastreamento para detecção precoce do câncer de mama, doença que pode atingir 66 mil mulheres em 2022, segundo estimativas do Instituto Nacional de Câncer (Inca).

O exame clínico, a identificação dos fatores de risco e dos sinais e sintomas suspeitos são ofertados  pela atenção primária como parte inicial da investigação. Já a mamografia de rastreamento, também feita pelo SUS, deverá ser solicitada para todas as mulheres com idade entre 50 e 69 anos, a cada dois anos. Mulheres consideradas de alto risco devem ter uma avaliação e indicação de rastreamento individualizadas.

Especialistas apontam que a detecção precoce da doença aumenta as taxas de sucesso do tratamento. O mastologista Marcelo Bello, diretor do Hospital de Câncer III, do Inca, destaca que, no aparecimento dos primeiros sinais e sintomas, é preciso buscar um serviço de saúde.

“O câncer de mama não é uma sentença de morte. O câncer de mama tem muito tratamento, os tratamentos são extremamente eficazes e óbvio, o ideal é você diagnosticar precocemente. Então, não pode ter medo de fazer o diagnóstico. Encontrou alguma coisa na sua mama, procure logo o serviço de saúde”, orienta Bello.

A mulher deve  procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua residência e manter o acompanhamento integral com a equipe de saúde da família de referência   O profissional fará a consulta direcionada à necessidade de cada mulher, com base na história clínica e no exame clínico das mamas e solicitará os exames necessários para o rastreamento da doença ou diagnóstico, no caso de sinais ou sintomas suspeitos. Foi o caso de Stephanie Pedreira, de 32 anos. A secretária, que trabalha em Brasília, foi diagnosticada com câncer de mama aos 29 anos de idade, o que também acende um alerta para que as jovens adotem a postura de estarem mais atentas ao conhecimento do seu corpo e no reconhecimento de alterações suspeitas para que possam procurar um serviço de saúde o mais cedo possível.

“Eu nunca tive o costume de fazer o autoexame das mamas porque, tanto pela idade quanto pelo fato de que eu não tinha histórico familiar, era aquela coisa meio que ‘não vai chegar até mim, não vai acontecer comigo’. Mas eu costumava ir ao ginecologista uma vez por ano, onde era realizado o exame das mamas. Até que começaram as suspeitas”, conta.

Atualmente, a secretária ainda está em tratamento com hormonioterapia e fazendo acompanhamento pelo SUS a cada seis meses.

“Dou muitas graças a Deus por ter conseguido fazer esse tratamento pelo SUS. Fui muito bem atendida, a oncologista que me acompanha é maravilhosa, a equipe de enfermagem é muito atenciosa. É muita coisa boa, muitas pessoas que você vê que estão ali realmente para cuidar de você, pra te ajudar”, ressalta Stephanie.

Sinais e sintomas (Fonte: Inca)
* Nódulo (caroço), fixo e geralmente indolor: é a principal manifestação da doença, estando presente em cerca de 90% dos casos quando o câncer é percebido pela própria mulher;
* Pele da mama avermelhada, retraída ou com aspecto de casca de laranja;
* Alterações no mamilo (bico do peito);
* Nódulos nas axilas aumentados;
* Saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos.

Porta de entrada
Entre 2020 e 2021, o Ministério da Saúde investiu mais de R$ 196,7 milhões em 4,5 milhões de exames de mamografia para diagnóstico e rastreio da doença. No período, aplicou mais de R$ 5,7 milhões em 6,5 mil reconstruções mamárias. O ministério destinou, ainda, mais de R$ 10,5 milhões em 25,1 mil cirurgias para o tratamento de câncer de mama.

Além desses procedimentos, que fazem parte da Atenção Especializada, a Atenção Primária à Saúde (APS) é responsável pelas ações de prevenção do câncer, pelo reconhecimento das mulheres de alto risco, rastreamento e identificação dos sinais e sintomas sugestivos do câncer, sendo a principal porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS). Assim, é o primeiro contato que o indivíduo ou família tem quando procura uma Unidade Básica de Saúde (UBS), por exemplo, para prevenir ou tratar algum problema de saúde.

As equipes da APS promovem ações de saúde individuais, familiares e coletivas que envolvem educação em saúde, promoção, prevenção, , diagnóstico, tratamento, reabilitação, redução de danos, cuidados paliativos e vigilância em saúde. Esse serviço é realizado por uma equipe multiprofissional e dirigido à população em cada território definido.

“Na Atenção Primária à Saúde, além de se fazer a solicitação da mamografia de rastreamento como método de detecção precoce do câncer de mama, também se trabalha a questão de sinais e sintomas do câncer de mama junto às mulheres e formas de prevenção primária, como o estímulo à prática de atividade física, a manutenção de um peso saudável, alimentação adequada e saudável rica em alimentos in natura e pobre em ultra processados”, explica a médica e coordenadora geral de Prevenção de Doenças Crônicas e Controle do Tabagismo, Patrícia Izetti.

Onde realizar os exames

No Brasil, há 317 unidades e centros de assistência habilitados no tratamento oncológico. Tais estabelecimentos integram a rede SUS e também ofertam exames pré-clínicos gratuitos para o câncer de mama. Confira a listagem de hospitais credenciados no site do Inca ou procure a secretaria de saúde do seu estado para mais informações.

Comentários

Brasil

Lula recebe apoio do PDT e do Cidadania para o segundo turno; Bolsonaro é escolhido por Moro, Zema e Castro

Publicado

em

Por

Esta terça-feira (4), dois dias após a votação do 1º turno, tem sido de intensas movimentações das forças políticas sobre os alinhamentos para o 2º turno da eleição presidencial. O candidato do PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, recebeu o apoio formal do PDT e do Cidadania. O presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, foi escolhido pelo senador eleito Sergio Moro (União) e pelos governadores reeleitos Romeu Zema (Novo-MG) e Cláudio Castro (PL-RJ).

O ex-presidente Lula (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL) vão disputar o segundo turno das eleições. Lula recebeu 57,2 milhões de votos (48,4%), e Bolsonaro, 51,07 milhões de votos (43,2%).

Ainda está prevista para a tarde reunião da executiva nacional do PSDB, que no primeiro turno estava na campanha de Simone Tebet (MDB).

PDT anuncia apoio à candidatura de Lula no 2º turno

O anúncio do PDT veio após reunião da Executiva do partido no final da manhã desta terça. No primeiro turno, o PDT teve o ex-governador do Ceará Ciro Gomes como candidato à Presidência da República. Ele ficou em quarto lugar, com 3,5 milhões de votos (3%).

“Uma hora e meia de reunião com toda a Executiva Nacional do partido, mais os presidentes estaduais, os presidentes de movimentos, os deputados federais de mandato, senadores. E tomamos uma decisão unânime, sem nenhum voto contrário, a decisão de apoiar o mais próximo da gente, que é a candidatura do Lula”, afirmou o presidente do PDT, Carlos Lupi.

“Bolsonaro, na nossa opinião, representa o atraso do atraso do atraso desse país, um aspirante a ditador, malversador do dinheiro público, um homem da falsa fé cristã”, disse Lupi. “Nosso trabalho para derrotar Bolsonaro tem que ser a prioridade absoluta. Derrotar Bolsonaro é uma causa nacional, uma causa da pátria, uma causa dos democratas”, completou.

A decisão do Cidadania de apoiar o candidato petista foi tomada em uma reunião da Executiva do partido

“Decidiu pelo apoio ao candidato do PT no segundo turno. Uma decisão que foi quase por unanimidade. Tivemos 3 votos defendendo neutralidade. Unanimidade contra Bolsonaro”, declarou Roberto Freire, presidente da legenda.

Freire já havia declarado apoio pessoal à Lula na última segunda-feira (3).

No Twitter, Moro disse que Lula não é uma opção e que o governo do petista foi marcado pela corrupção.

“Contra o projeto de poder do PT, declaro, no segundo turno, o apoio para Bolsonaro”, publicou Moro.

Romeu Zema (Novo) anuncia apoio a Bolsonaro no 2º turno

Romeu Zema, reeleito em primeiro turno com 56,18% dos votos válidos, anunciou o apoio a Bolsonaro após uma reunião com o presidente no Palácio da Alvorada, em Brasília. Braga Netto, candidato a vice na chapa do PL, também participou do encontro.

“Não poderia também deixar neste momento de estarmos aqui, colocando as nossas divergências de lado, eu sempre dialoguei com o presidente Bolsonaro. Sabemos que em muitas coisas convergirmos e em outras, não. Mas é o momento em que o Brasil precisa caminhar para frente, e eu acredito muito mais na proposta do presidente Bolsonaro do que na proposta do adversário [Lula]”, afirmou Zema

Ele declarou ter herdado uma “tragédia” do governo petista de Fernando Pimentel em Minas Gerais e que esse foi um dos motivos que o levou a Brasília para declarar apoio ao candidato do PL.

Castro também teve uma reunião com Bolsonaro nesta manhã, no Palácio do Planalto, em Brasília. Depois, eles deram uma rápida entrevista coletiva para a imprensa.

“Eu, como sou do partido do presidente, sou apoiador do presidente. Não tinha como não vir aqui e me esforçar muito para que o Rio seja a capital da vitória do presidente Bolsonaro”, disse o governador, ao lado de Bolsonaro.

Comentários

Continue lendo

Brasil

Nobel de Medicina: como foi a ‘tarefa impossível’ de recriar o DNA Neandertal, que rendeu prêmio a Svante Pääbo

Publicado

em

Por

O vencedor do Prêmio Nobel de Medicina de 2022 criou uma disciplina que contribuiu para essa importante descoberta: a paleogenômica.

O homem de Neandertal — Foto: S. ENTRESSANGLE/E. DAYNES/SCIENCE PHOTO LIBRARY

O homem de Neandertal — Foto: S. ENTRESSANGLE/E. DAYNES/SCIENCE PHOTO LIBRARY

Imagine que todas as páginas de um dicionário foram destruídas em um triturador de papel e você teve que reconstruir todo o trabalho.

Suponha que, além disso, as milhares de tiras picotadas daquele dicionário foram misturadas com as de milhares de outros livros, que também foram triturados.

Para piorar, por cima dessa montanha de papel cortado, foi despejada uma xícara de café.

Como você pode imaginar, o resultado disso é uma enorme bola colada que mistura milhões de letras e segmentos mínimos de um texto, que se tornou inelegível e confuso.

Mas será que é possível restaurar esse dicionário?

Essa foi a figura de linguagem que o cientista sueco Svante Pääbo usou no documentário First Peoples (“Primeiros Povos”, em tradução livre), da rede de televisão pública americana PBS, para descrever a dificuldade que enfrentava: a reconstrução do DNA neandertal após de dezenas de milhares de anos da extinção dessa espécie.

A passagem do tempo, a corrosão dos possíveis restos desses humanos parentes do Homo sapiens, a interação com bactérias e fungos ao longo de centenas de séculos e o contato com os humanos modernos impossibilitariam a reorganização das peças genéticas.

“Existem todos os tipos de danos no DNA que podem fazer com que você determine sequências erradas, especialmente quando se começa com poucas moléculas. Também há contaminação do material por DNA humano, que está em quase toda parte”, escreveu Pääbo em um artigo publicado em 1989.

O sueco Svante Pääbo foi premiado pela contribuição à saúde com base em seu estudo sobre a evolução humana — Foto: NOBEL PRIZE

O sueco Svante Pääbo foi premiado pela contribuição à saúde com base em seu estudo sobre a evolução humana — Foto: NOBEL PRIZE

Mas Pääbo e sua equipe conseguiram fazer o que parecia improvável. Graças a isso, ele ganhou o Prêmio Nobel de Medicina de 2022 na segunda-feira (3/10).

“Por meio de sua pesquisa pioneira, Svante Pääbo alcançou o impossível: sequenciar o genoma neandertal, um parente extinto dos humanos modernos”, declarou o comitê do Nobel ao anunciar a decisão.

Mas como ele conseguiu esse feito?

A chave está no Egito Antigo

Para entender o processo que levou Pääbo, de 67 anos, à reconstrução do genoma neandertal, é preciso voltar à sua adolescência.

Quando tinha 13 anos, a mãe o levou de férias para o Egito.

Lá, ele ficou fascinado com a antiga cultura e arqueologia do país e voltou convencido de que iria se tornar um egiptólogo.

Quando chegou a hora de começar a graduação, Pääbo entrou na Universidade de Uppsala, 70 quilômetros a noroeste de Estocolmo, capital da Suécia, e começou de fato a estudar egiptologia.

No entanto, depois de dois anos, ele percebeu que isso não era o que aspirava na vida. A carreira foi orientada para o estudo da gramática hieroglífica (forma de escrita por símbolos adotada no Egito Antigo), e ele sonhava em descobrir múmias e pirâmides.

“O trabalho não era do tipo romântico, meio Indiana Jones, que eu pensava”, disse Pääbo à BBC há alguns anos.

Foi por isso que ele passou a cursar medicina. No doutorado, resolveu estudar genética molecular, o que o levou a vincular o interesse que tinha desde a adolescência ao campo profissional.

Svante Pääbo dedicou-se a pesquisar nas últimas décadas o DNA dos neandertais — Foto: GETTY IMAGES/BBC

Svante Pääbo dedicou-se a pesquisar nas últimas décadas o DNA dos neandertais — Foto: GETTY IMAGES/BBC

“Comecei a perceber que tínhamos todas essas tecnologias para clonar o DNA, mas ninguém parecia tê-las aplicado a vestígios arqueológicos, principalmente às múmias egípcias”, disse Pääbo em um perfil publicado pela Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos.

A partir dessas ferramentas, ele poderia criar uma máquina do tempo genômica.

A inquietação o levou a estudar o genoma de múmias e, alguns anos depois, se mudar para os Estados Unidos com o objetivo de investigar DNAs antigos na Universidade da Califórnia em Berkeley.

Ele então seguiu o trabalho em Munique, na Alemanha, onde se dedicou a mamutes e ursos que viviam em cavernas.

Apesar de todas as dificuldades, Pääbo não desistiu. Com o tempo, ele se propôs a fazer algo muito mais ambicioso: decifrar o DNA neandertal e o que o diferencia dos seres humanos atuais.

Sem querer, ele praticamente criou uma nova disciplina na ciência: a paleogenômica.

Resquícios de 40 mil anos

No final da década de 1990, Pääbo foi contratado pelo Instituto Max Planck de Antropologia Evolucionária, localizado em Leipzig, na Alemanha.

Ele já estava trabalhando com partes do DNA dos neandertais. No novo local de trabalho, porém, a oferta aumentou: o cientista teria a oportunidade de investigar diretamente o núcleo do DNA desses parentes próximos da nossa espécie.

“No novo instituto, Pääbo e equipe melhoraram constantemente os métodos para isolar e analisar DNA de restos ósseos arcaicos. O time de pesquisa aproveitou os novos avanços tecnológicos, que tornaram o sequenciamento de DNA muito eficiente”, detalha o comitê encarregado de conceder o Prêmio Nobel de Medicina.

Segundo o comitê que concede o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina, Svante Pääbo conseguiu criar uma disciplina completamente nova: a paleogenômica — Foto: NOBEL PRIZE

Segundo o comitê que concede o Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina, Svante Pääbo conseguiu criar uma disciplina completamente nova: a paleogenômica — Foto: NOBEL PRIZE

O estudo do genoma neandertal usou fragmentos de ossos dessa espécie que estão preservados há mais de 40 mil anos. A partir desse material, foi possível obter uma quantidade suficientemente boa de DNA.

Um fator que contribuiu para o sucesso da investigação foi o canibalismo entre esses hominídeos.

“Quando analisamos as amostras, notamos que, muitas vezes, tivemos mais sucesso com fragmentos de ossos que realmente tinham marcas de corte ou foram deliberadamente quebrados. Segundo paleontólogos, isso sugere que esses indivíduos haviam sido comidos”, disse Pääbo à BBC.

“Se você separar os ossos da carne e jogá-los no canto da caverna, onde secam rapidamente, eles terão menos atividade microbiana e ficarão preservados”, acrescentou.

“Temos de agradecer ao canibalismo pelo sucesso do nosso projeto.”

Pääbo usou a tecnologia de sequenciamento de DNA e criou laboratórios com altos padrões de limpeza para evitar a contaminação das amostras.

Ele então analisou milhões de fragmentos de material genético e usou técnicas estatísticas para isolá-los de genes modernos, vindos de seres humanos, bactérias e fungos.

Com isso, ele não apenas reconstruiu o genoma neandertal, como também encontrou ligações entre esse material genético e o do humano moderno.

Isso, por sua vez, comprova que o Homo sapiens teve relações sexuais e descendentes com os neandertais — e essa interação gerou novas espécies, como os denisovanos que viveram na Ásia.

Essa série de descobertas levaram o meticuloso pesquisador sueco a ganhar um dos mais destacados prêmios do mundo.

Comentários

Continue lendo

Brasil

Agroglifo aparece em plantação de trigo em SC: ‘Negócios misteriosos’, diz proprietário

Publicado

em

Por

Marca foi notada pelo morador na manhã desta terça-feira. Segundo ufólogo, trata-se de um agroglifo.

Imagem foi vista nesta terça-feira e surpreendeu dono de propriedade rural em SC. — Foto: Tiago Kosinski/Divulgação

Imagem foi vista nesta terça-feira e surpreendeu dono de propriedade rural em SC. — Foto: Tiago Kosinski/Divulgação

Uma figura misteriosa apareceu em uma plantação de trigo em Ipuaçu, no Oeste catarinense. A imagem foi encontrada na manhã desta quarta-feira (4). Sérgio Girotto, 62 anos, estava tomando café quando recebeu mensagens avisando sobre o desenho visto na propriedade.

Segundo o proprietário, esta não é a primeira vez que imagem enigmática aparecem na plantação. O agricultor lembra que o mistério já rondou a propriedade há 7 anos com uma imagem feita há cerca de 200 metros de onde o desenho atual foi registrado.

“Hoje, nos deparamos pela segunda vez na nossa propriedade. A gente estava tomando café e vimos esses negócios misteriosos que a gente não sabe explicar de onde vem”, afirmou.

 

Agroglifos que apareceram em SC. — Foto: Tiago Kosinski/Divulgação

Agroglifos que apareceram em SC. — Foto: Tiago Kosinski/Divulgação

Além de Ipuaçu, em Bom Jesus, na mesma região, agroglifos também apareceram em plantação de milho. Eles haviam sido notados por moradores da cidade e tinham cerca de vinte metros de diâmetro.

Imagem circulou nas rede sociais nesta terça-feira (4) — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Imagem circulou nas rede sociais nesta terça-feira (4) — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Agroglifos em SC é mistério para proprietário da área. — Foto: Tiago Kosinski/Divulgação

Agroglifos em SC é mistério para proprietário da área. — Foto: Tiago Kosinski/Divulgação

Comentários

Continue lendo

Em alta