Conecte-se conosco

Geral

Carteiros entregam encomendas com veículos particulares após redução de distritos postais

Publicado

em

O Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos do Acre (Sintect-AC) denunciará a redução dos distritos postais motorizados, dificultando a prestação do serviço. Para não deixar a população desassistida e para não percorrer grandes distâncias a pé ou de bicicleta, carteiros estão utilizando os veículos próprios para realizarem o transporte de encomendas que deveria chegar por meio de entregas feitas por motocicletas ou carros da empresa.

Em situação flagrada em Xapuri, o trabalhador usa a própria BIZ para levar pacotes que deveriam ser transportados em carros devido ao tamanho do volume. No atual plano, as cartas são deixadas de lado, resultando em atrasos e no agravamento das condições de trabalho.

“A gestão dos Correios está reduzindo os distritos motorizados por conta própria, sem planejamento responsável, colocando o pessoal para atuar de bicicleta ou a pé, com isso, os empregados, devido a dificuldade e a distância, acabam se submetendo, utilizando o veículo próprio para percorrer longas distâncias, mas não é por falta de dinheiro, porque, ano passado, a estatal lucrou mais de R$ 1,5 bilhão. É uma opção do gestor de enxugar a máquina para privatizar, e isso impacta no serviço”, explicou a presidente do Sintect-AC, Suzy Cristiny.

Segundo o vice-presidente do Sindicato, Cleyton Nogueira, a situação vivida no interior tem o objetivo de deixar a população descontente com os serviços para apoiar a venda dos Correios.

“É um total descaso com o trabalhador e com a comunidade dos serviços, buscando manipular a opinião do povo. É uma empresa centenária, que dá lucro, mas, para motivar a privatização, se recusam em oferecer atendimento merecido para a população”, protestou o sindicalista.

O Sindicato e a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) lutam em Brasília para mostrar aos políticos que a situação vivida dentro da empresa é artificialmente criada para reforçar a necessidade de venda.

“Enquanto a administração cria os problemas, a população sofre e ainda culpa os trabalhadores, mas os funcionários estão dando sangue para atender bem o cliente”, finalizou Cleyton.

Enquanto as cidades crescem e o número de encomendas só aumenta, a empresa vem realizando a redução de distritos, a demissão de trabalhadores. A última contratação por meio de concurso foi realizada em 2013, deixando o quadro defasado e a população descontente.

Comentários

Geral

Covid-19: Acre registra 310 casos nesta quinta-feira

Publicado

em

O Acre registrou 310 novos casos de infecção por coronavírus nesta quinta-feira, 20 de janeiro. O número de infectados subiu para 91.781 em todo o estado.

Até o momento, o Acre registra 261.772 notificações de contaminação pela doença, sendo que 169.843 casos foram descartados e 148 exames de RT-PCR seguem aguardando análise do Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen). Pelo menos 86.731 pessoas já receberam alta médica da doença, sendo que 27 seguiam internadas até o fechamento deste boletim.

Os dados da vacinação contra a covid-19 no Acre podem ser acessados no Painel de Monitoramento da Vacinação, disponível no endereço eletrônico: http://covid19.ac.gov.br/vacina/inicio. As informações são atualizadas na plataforma do Ministério da Saúde (MS), ficando sujeitas a alterações constantes, em razão das informações inseridas a partir de cada município.

Até o fechamento deste boletim, das oito pessoas internadas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into-AC), quatro não tomaram nenhuma dose dos imunizantes contra covid-19, uma tomou apenas uma dose e três tomaram duas doses da vacina.

Nenhum óbito foi registrado nesta quinta-feira, 20 de janeiro, fazendo com que o número oficial de mortes por covid-19 permaneça 1.854 em todo o estado.

Comentários

Continue lendo

Geral

Justiça do Acre obriga Estado a fornecer canabidiol para tratamento de criança autista

Publicado

em

A 1ª Turma Recursal (TR) do Sistema de Juizados Especiais manteve sentença que condenou o Estado do Acre ao fornecimento da substância canabidiol a uma criança com transtorno do espectro autista grave, que comete auto agressões constantes, nem apresentou melhora clínica com uso de diversos remédios tradicionalmente utilizados nos tratamentos.

A decisão, de relatoria do juiz de Direito Anastácio Menezes, acompanhada por unanimidade pelos demais membros do órgão recursal, considerou que não há motivos para acolher o recurso apresentado pelo Ente Público, devendo a sentença ser mantida pelos próprios fundamentos.

Entenda o caso

A sentença combatida foi lançada pelo Juízo da Fazenda Pública da Comarca de Sena Madureira, que entendeu que a utilização da substância se faz necessária no caso, sendo dever constitucional do Estado prover os meios necessários para o tratamento e recuperação da saúde do paciente.

O Estado, por sua vez, apresentou recurso junto à 1ª TR, pedindo, em síntese, o afastamento da decisão e, secundariamente, a não aplicação de multa diária pelo não cumprimento da obrigação no prazo determinado na sentença.

Sentença mantida

Para o juiz de Direito relator, os argumentos lançados pelo Ente Público para revogação da decisão não merecem acolhida, pois o autor, comprovou, por meio de laudo, “a necessidade de disponibilização do medicamento para melhor qualidade de vida, haja vista ser portador de Transtorno do Espectro Autista Grave, com auto agressão constante, ansiedade e hiperatividade, sem melhora clínica após tentativa de uso de diversos fármacos tradicionalmente prescritos”.

O magistrado relator também ressaltou que “estando o caso (…) relacionado à saúde, bem que merece ser tutelado e demanda maior urgência, (mostra-se) inviável o afastamento da decisão guerreada”. “Tampouco merece guarida a tese de necessidade de afastamento/redução da multa diária (…), por se mostrar adequada às peculiaridades do caso concreto, uma vez comprovada a extrema necessidade de uso do medicamento para viabilizar existência digna ao agravado, que não pode ser submetido à espera por tempo indeterminado.”

Dilação de prazo

Por outro lado, o relator entendeu ser necessária a dilação do prazo de cumprimento da decisão para 30 (trinta) dias, considerando “o caráter recente e excepcional da autorização de importação de produtos à base de cannabis para uso medicinal, de forma que o lapso de 10 (dez) dias, além de exíguo (insuficiente), não reflete a complexidade para obtenção do fármaco, que ainda não integra os protocolos do SUS”.

Comentários

Continue lendo

Geral

Coreia do Norte ameaça retomar testes nucleares

Publicado

em

Ameaça ocorreu durante reunião liderada por Kim Jong-un

A Coreia do Norte ameaçou hoje (20) retomar testes nucleares e de mísseis balísticos de longo alcance, em reunião do gabinete político sob a liderança de Kim Jong-un.

Pyongyang não realizou quaisquer ensaios nucleares de mísseis balísticos de longo alcance desde 2017, dando prioridade ao diálogo com os Estados Unidos (EUA). O líder norte-coreano encontrou-se três vezes com o então presidente norte-americano, Donald Trump.

Desde a fracassada Cúpula de Hanói, de 2019, entre os dois líderes, as negociações ficaram estagnadas.

A Coreia do Norte rejeitou todas as ofertas de diálogo, enquanto retomava testes, como o lançamento de mísseis hipersónicos.

Os EUA impuseram, na semana passada, novas sanções a Pyongyang.

“Política hostil e ameaça militar dos EUA atingiram limiar perigoso que já não pode ser ignorado”, disse a agência oficial da Coreia do Norte KCNA.

Por essa razão, a reunião do gabinete político do comitê central do Partido dos Trabalhadores determinou que seja examinada rapidamente a questão do reinício” de todas as atividades que foram objeto de moratória.

O possível recomeço dos testes nucleares e balísticos ocorre em momento sensível para a região, com eleições presidenciais marcadas para março na Coreia do Sul e na China, o único grande aliado da Coreia do Norte e que se prepara para acolher os Jogos Olímpicos de Inverno em fevereiro.

Desde a posse do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, há um ano, Pyongyang rejeitou várias propostas de diálogo apresentadas pela administração norte-americana.

Comentários

Continue lendo

Em alta