Pedras estavam escondidas na calcinha da mulher. Casal foi levado para Polícia Federal.

As pedras, afirma a PRF, foram extraídas ilegalmente da Reserva Roosevelt, que pertence a União, e fica na cidade de Espigão do Oeste, Sul do estado. Vilhena está a cerca de 700 km de Porto Velho.
Julia Affonso

Fisioterapeuta de 41 anos estava em um carro com um pedreiro de 65 em uma estrada em Rondônia; eles serão investigados por crime de ‘usurpação de matéria-prima da União’

Um casal foi preso com quase 2 mil pedras de diamante, na BR-364, em Vilhena (RO), a 700 quilômetros de Porto Velho. O caso foi registrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na manhã desta sexta-feira (19). As pedras estavam escondidas na calcinha da mulher, de 41 anos.

De acordo com a PRF, a caminhonete foi parada em uma abordagem de rotina, no Km 01 da rodovia. Os suspeitos teriam saído de Porto Velho e seguiam para Foz do Iguaçu (PR). Ao solicitarem os documentos, os agentes perceberam que o motorista, de 65 anos, demonstrou nervosismo.

Além disso, o casal divergiu diversas vezes sobre os motivos da viagem. Os agentes realizaram revista na caminhonete e no motorista, mas não encontraram nenhuma irregularidade.

Em seguida, os agentes informaram ao casal que solicitariam a presença de uma policial feminina, para revistar a mulher. Diante disso, a suspeita disse que não seria necessária a revista e revelou que estava com diamantes escondidos na calcinha.

Os agentes narraram que ambos demonstraram nervosismo durante a fiscalização, ‘o que elevou o nível de alerta dos agentes da PRF’.

As pedras, afirma a PRF, foram extraídas ilegalmente da Reserva Roosevelt, que pertence a União, e fica na cidade de Espigão do Oeste, Sul do estado. Vilhena está a cerca de 700 km de Porto Velho.

De acordo com a Polícia, o casal mora em Porto Velho. Os agentes narraram que ambos demonstraram nervosismo durante a fiscalização, ‘o que elevou o nível de alerta dos agentes da PRF’.

Corporação informou que, antes de ser revistada, a mulher confessou que levava, na calcinha, envelopes com 1.930 diamantes.

A Polícia relatou que o casal contou que havia comprado as pedras na cidade de Ji-Paraná por R$ 300 mil. O destino final seria Foz do Iguaçu, no Paraná, onde as pedras seriam negociadas.

Os suspeitos foram detidos e conduzidos à Delegacia da Polícia Federal, onde será instaurado um inquérito policial.

A Polícia relatou que o casal contou que havia comprado as pedras na cidade de Ji-Paraná por R$ 300 mil.

Comentários