De janeiro ao dia 15 de abril deste ano foram notificados mais de 6,2 mil casos, sendo que no mesmo período do ano passado eram pouco mais de 6,3 mil casos.

Por Iryá Rodrigues, G1 AC

Os casos suspeitos de dengue no Acre tiveram aumento de 70% em 2019, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre). Até o dia 15 de abril foram registradas 6.226 notificações da doença no estado, um aumento de 2.565 casos em comparação com o mesmo período de 2018.

A reportagem entrou em contato com a coordenadora de Vigilância Ambiental e Controle de Endemias da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), Sônia Queiroz, mas até a última atualização desta reportagem não obteve resposta.

A região Baixo Acre apresenta o maior número de casos suspeitos, sendo 3.956 notificações este ano e 1.834 casos confirmados. A segunda região de maior incidência é a do Juruá com 1.544 notificações em 2019 e 433.

Epidemia em Rio Branco

Em epidemia, a capital acreana, Rio Branco, tem o maior número de casos do estado. Segundo os dados da Sesacre, foram registrados 3.164 casos suspeitos em 2019, sendo que no mesmo período de 2018 foram 1.130 casos, um aumento de 180%.

Com relação aos casos confirmados da doença, são 1.477 até o dia 15 de abril deste ano e 301 no mesmo período no ano passado. Um aumento de 390% nos casos.

Já em Cruzeiro do Sul, o número de casos caiu 51% este ano. Até o dia 15 de abril de 2019 foram registrados 875 casos suspeitos de dengue, sendo que no ano passado foram 1.794 casos. Confirmados são 209 casos em 2019 e 805 em 2018.

2º do país com a maior taxa de dengue

Dados do Ministério da Saúde, divulgados no último dia 25 de março, apontam que o número de casos de dengue no Acre teve um aumento de 231,4% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Na época, o estado ficou em segundo lugar no ranking dos estados com relação à taxa da doença, por apresentar alta incidência da doença, ou seja, maior que 100 casos por 100 mil habitantes

Até o dia 16 de março deste ano, o estado notificou 3.675 casos da doença. No mesmo período de 2018, foram 1.109 casos. A avaliação foi feita de 30 de dezembro de 2018 a 16 de março de 2019, em comparação com o mesmo período de 2017/2018.

A incidência no estado é de 422,8 casos/100 mil habitantes. O Acre não registrou óbitos em decorrência da doença neste ano. Ainda de acordo com o Ministério, os casos de chikungunya também aumentaram no período avaliado, passando de 44 em 2018 para 75 em 2019. Em relação à zika, o crescimento foi de 5 em 2018 para 83 em 2019, um aumento de 1560%.

Decreto

No último dia 20, a prefeitura de Rio Branco decretou situação de emergência por um período de 180 dias devido à epidemia de dengue na capital.

Com o decreto, a prefeitura ficou autorizada a fazer contratação temporária de pessoal. Além de poder requisitar tanto pessoal, como equipamentos de outras secretarias para desenvolver ações de eliminação dos focos de proliferação do mosquito Aedes aegypti.

Comentários