Centenas e de pessoas morreram na Bolívia por causa de cheia do Madeira

“A situação é de calamidade pública”, conclui o site/Foto:Rondônia Vip
“A situação é de calamidade pública”, conclui o site/Foto:Rondônia Vip

Da redação, com Kellyton Lindoso

O Departamento de Beni – situado ao centro-norte da Bolívia e que faz limite ao nordeste com o estado de Rondônia – está sofrendo com a cheia do rio Madeira. É o que informa o site Giro Central.

Segundo a imprensa local, Trinidad corre o risco de ser “arrastada” pelo rio Mamoré, afluente do Madeira, já que a barreira que o contém ameaça se romper.

Não bastasse toda a situação de calamidade, informações do site afirmam, ainda, que os problemas estão apenas no começo: doenças começam a aparecer na região.

Já são mais de 30 pessoas mortas e ilhadas, mais de 10 estão desaparecidas e aproximadamente 50 mil tiveram que deixar suas casas, como informam algumas agências de notícias da Bolívia.

“A situação é de calamidade pública”, conclui o site.

De acordo com informações de autoridades, outra preocupação e um dos principais motivos para tal sofrimento é o eixo central da economia do departamento, a pecuária. O advogado Augustin Zambrana Arze publicou no seu perfil em uma rede social um vídeo feito com celular, onde fazendeiros tentam remover o gado das regiões alagadas.

O vídeo já tomou alta repercussão na região, e gerou comentário de diversos internautas. O brasileiro Jose Augusto De Sousa afirma estar triste com a situação.

“Tenha muita (sic) fe irmaos bolivianos, (sic) vsmos orar para q Deus nos de forca (sic) psra vencer essa batalha so Deus pode nos unir forcas atraves de (sic) oracois muito triste”.

corpos-bolivia2

“Há locais onde somente helicópteros conseguem chegar. Há mais de 3 semanas aldeias indígenas estão isoladas”, informa a publicação do site.

Outro brasileiro, Márcio Ramos Merino afirma: “a que ponto chegou !!!!!!!!”.

Vídeo mostra região da Bolívia alagada e fazendeiros tentando salvar gado ilhado

corpos-bolivia3

Fonte: contilnet

Comentários