Conecte-se conosco

Brasil

Cobija altera horário de circulação durante fechamento da fronteira

Publicado

em

Policiamento no lado boliviano é rígido e nem a pé pode passar – Foto: Alexandre Lima

Por Raimari Cardoso

Horas depois de a presidente da Câmara de Vereadores de Brasiléia, Arlete Amaral (SD), ter sido momentaneamente impedida de retornar ao lado brasileiro após ir a Cobija, nesta segunda-feira, 5, e perder o horário em que está sendo permitida a circulação entre os dois lados da fronteira, o prefeito da cidade boliviana, Luis Gatty, emitiu um despacho alterando o período de trânsito entre as cidades-gêmeas.

Por meio do Decreto Supremo 4.481, o governo boliviano fechou a fronteira com o Brasil por 7 dias, a partir da última sexta-feira, 2, como medida para evitar a entrada da chamada variante de Manaus ou P.1, do novo coronavírus, porém a medida não agradou a todos. As três cidades fronteiriças possuem fortes relações, especialmente comerciais, o que faz com que a circulação diária entre elas seja normalmente intensa.

Logo que o decreto foi emitido, a governadora de Pando, Paola Terrazas, manifestou sua insatisfação com a medida, bem como o seu receio de que o país vizinho respondesse da mesma forma e determinasse o fechamento das passagens de fronteira. “Caso o Brasil aplique a lei de reciprocidade, como fez na primeira onda da Covid-19, isso nos prejudicaria porque eles podem fechar as pontes por até 3 meses”, disse Terrazas a uma rádio local.

Com a alteração anunciada pelo governo municipal de Cobija, os novos horários de circulação são: pela manhã, entre as 7h e as 8h, e no período da tarde das 17h até as 19h, sempre no horário local (Bolívia), que tem uma hora a mais de diferença para o Brasil. O Decreto Supremo 4.481 tem prazo de encerramento previsto para a próxima quinta-feira, 8 de abril.

A medida do prefeito Luis Gatty se deu em atendimento a solicitações feitas pelos prefeitos, Sérgio Lopes, de Epitaciolândia, e Fernanda Hassem, de Brasiléia, além de vereadores, empresários e comerciantes. Ele destacou a relação de reciprocidade cultural, social, econômica, afetiva e familiar que existe entre as três cidades.

Variante do Amazonas

A variante P.1, identificada originalmente em Manaus, está se espalhando não só pelo Brasil, mas também pela América do Sul. Cerca de 40% dos casos de coronavírus detectados recentemente em Lima, no Peru, estão associados à variante, segundo informações do jornal The Washington Post.

No Uruguai, a cepa é responsável por 30% dos casos de Covid-19 e no Paraguai, metade dos casos identificados na fronteira com o Brasil são causados pela P.1, segundo informações do jornal americano.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em reportagem desta segunda-feira da revista Veja, a P.1. já foi rastreada em 45 países mundo afora, incluindo Estados Unidos, Japão, Canadá, México, Espanha, Itália, França e Índia.

Na América do Sul, apenas Bolívia, Equador, Suriname e Guiana não haviam registrado casos da doença decorrentes da variante brasileira, de acordo com o último boletim epidemiológico da OMS. No entanto, devido à defasagem da realização de testes genômicos na região, isso não significa que a cepa ainda não esteja por lá.

Comentários

Brasil

Alagoas tem 50 municípios em emergência por causa das chuvas

Publicado

em

Há 40 mil pessoas desalojadas e desabrigadas

O estado de Alagoas reconheceu a situação emergencial em mais 15 municípios devido às chuvas que caem na região. Com a medida, o estado está com cerca de 50 municípios em situação anormal desde maio, quando houve o aumento dos estragos causados pelas enchentes e o número de desabrigados. 

O decreto publicado ontem (2) declara a emergência pelo período de 180 dias nos municípios alagoanos de Atalaia, Branquinha, Cacimbinhas, Cajueiro, Capela, Limoeiro de Anadia, Murici, Pão de Açúcar, Paulo Jacinto, Santana do Mundaú, São José da Laje, Satuba, Taquarana, União dos Palmares e Viçosa.

Antes da medida, a situação emergencial foi decretada em pelo menos 35 municípios.

De acordo com balanço divulgado pela Defesa Civil, há 40 mil pessoas desalojadas e desabrigadas, que estão sendo levadas para escolas, ginásios e prédios públicos.

Os rios Paraíba e Mundaú transbordaram e subiram dois metros de altura. As BRs 104 e 101, que seguem em direção a Sergipe e Pernambuco, foram interditadas.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o mês de julho terá chuvas acima da média no leste do Nordeste e no norte da região Nordeste. Os volumes previstos devem ficar acima dos 140 mm.

Uma equipe da Defesa Civil Nacional foi deslocada neste sábado (2) para prestar apoio aos municípios atingidos pelas chuvas

Edição: Claudia Felczak

Comentários

Continue lendo

Brasil

Tiroteio em shopping de Copenhague deixa pessoas mortas

Publicado

em

Polícia disse ter prendido um dinamarquês de 22 anos

Por Stine Jacobsen e Nikolaj Skydsgaard – Repórteres da Reuters* – Londres

Várias pessoas morreram durante tiroteio em um shopping center de Copenhague neste domingo (3), disse a polícia, acrescentando ter prendido um dinamarquês de 22 anos. A polícia afirmou que não pode descartar que esse tenha sido um “ato de terrorismo”.

Ainda segundo a polícia de Copenhague, agentes policiais foram enviados ao Shopping Field, após relatos de um tiroteio, e pediu às pessoas dentro do local que ficassem paradas e aguardassem ajuda.

Não havia indicação da presença de outros atiradores.

O principal hospital da capital, Rigshospitalet, recebeu um “pequeno grupo de pacientes”, disse um porta-voz à Reuters. O hospital convocou mais funcionários, incluindo cirurgiões e enfermeiras, acrescentou o porta-voz.

A mídia local publicou imagens mostrando policiais fortemente armados no local, bem como pessoas correndo para fora do shopping.

Comentários

Continue lendo

Brasil

Greves cancelam voos no aeroporto de Lisboa

Publicado

em

Só na manhã deste domingo, foram mais de 40 voos

Por RTP* – Lisboa

O aeroporto de Lisboa cancelou, somente na manhã de hoje mais de 40 voos, a maioria da empresa TAP.

Ao longo de fim de semana, o número de voos cancelados já é superior a uma centena.

Os passageiros queixam-se da falta de informação da companhia aérea portuguesa. Há enormes filas de espera e muita gente que se desespera em busca de alternativa.

O cenário de caos não é exclusivo do aeroporto de Lisboa. Os cancelamentos multiplicam-se, devido à falta de pessoal e às greves em várias companhias aéreas.

Há problemas em vários pontos do mundo, com dificuldades em grandes aeroportos europeus, na Inglaterra, nos Países Baixos, na França e Espanha.

*É proibida a reprodução deste conteúdo.

Comentários

Continue lendo

Em alta