”Transtorno de Orientação Sexual…”.

A decisão judicial que permite aos psicólogos oferecerem terapia de reversão sexual aos homossexuais inquietou grupos ativistas. Com a liminar, o juiz Federal Waldemar Claudio de Carvalho, contraria a resolução 01/99, do Conselho Federal de Psicologia onde proíbe ao psicólogo oferecer terapias que leve a segregação e patologização de comportamentos homoeróticos.

Em meio a essa furação de opiniões seria pertinente considerar que na década de 90, a Organização Mundial de Saúde retirou da lista de doenças a homossexualidade. Portanto, eu enquanto profissional de saúde mental, gostaria de entender o aspecto patológico de quem refere atração por outra de mesmo sexo. Minha ética não assimila sanidade vinculada à orientação sexual.

Gostaria de dedicar esta coluna aos meus amigos gays, corajosos e felizes.


Cura Gay

Por Charles Junior B. Moreira

O Brasil vive um retrocesso absurdo com a liminar expedida pelo juiz da 14ª vara Federal do DF, Waldemar Claudio de Carvalho.

Não por acaso a liminar expedida por este juiz, vai de encontro ao que diz a Organização Mundial de Saúde: “a homossexualidade não é uma condição patológica”. Porém o Conselho Federal de Psicologia veda qualquer possibilidade da pratica de tratamento da reversão da “orientação sexual”.

Vivemos hoje um total desrespeito com o ser humano, gastamos milhões para mantermos a máquina pública funcionando, a ela atrelado os nossos políticos, justiça e todos os outros, para que defenda nossos interesses e ideias, o que se tem de retorno são liminares e leis com total discrepância, onde não se respeita as várias formas de amar.

Vivemos um momento onde a criminalidade reina, e entendimentos como esse, alimenta o ódio, o embasamento para espancamentos, o assassinato e todas as outras formas de agressões aos homossexuais, muitas vezes até da própria família.

Não podemos cruzar os braços mediante a esta liminar. Hoje querem nos transformar em “ratos de laboratório”. Amanhã, seremos vitimas legais de testes para a criação “da raça perfeita”. Esta segunda opção a história já os mostrou que não funciona se lembrarmos de Adoff Hitler.

Estão tentando nos submeter a campos de concentração, disfarçados de clinicas de tratamento da “cura gay”, hoje seremos convidados de forma voluntaria, se não tomarmos uma atitude já, muito em breve seremos levados à força para sermos dizimados de uma sociedade que só aceita o tradicional, o convencionalmente correto, uma sociedade que ver a vida como “vida de gado”.

“Não precisa amar, não precisa aceitar o querer bem, nós sabemos o que somos e onde queremos chegar, somos inteligentes o suficiente para sabermos que nossa jornada sempre será um pouco mais árdua que a da maioria”. O que realmente queremos é RESPEITO.

Comentários