Com apoio de empresários, moradores cobram liberação de recursos para construção de nova ponte em Brasiléia

Um grupo de empresários da fronteira do Acre, juntamente com moradores, resolveram tomar uma decisão em relação à ponte que liga os municípios de Brasiléia e Epitaciolândia, independente cor partidária em prol dos que precisam diariamente passar de um lado para outro.

A ponte metálica batizada com o nome de José Augusto, foi construída no início dos anos de 1980, no século passado. Na época, o fluxo de veículos era bem abaixo do que se encontra hoje, mais de 30 anos depois e vem causando transtornos e irritação.

Campanha vem crescendo com aceitação de moradores das cidades da fronteira.

Sem o cumprimento da promessa de campanha do governo passado, o transtorno é registrado todos os dias e a qualquer hora. Além das frustrações diárias, se junta o prejuízo financeiro de ficar intermináveis minutos esperando a passagem pela ponte.

Na tarde desta sexta-feira, dia 21, foi realizado um ‘adesivaço’ na ponte, onde teve muitas adesões por parte dos motoristas. A ideia dos organizadores, é pressionar os políticos da bancada acreana em Brasília e na Assembleia Legislativa do Acre, para que as emendas e projetos sejam agilizados para a construção o mais rápido possível.

Adesivos e camisas e panfletos estão sendo confeccionados para que moradores possam ajudar na campanha. A aceitação é imediata e vem crescendo a cada dia. Vários contados com pessoas do governo estadual e federal vem acontecendo para possam dar uma ajuda.

Segundo alguns representantes do Governo do Acre, como o atual Secretário de Infraestrutura, Thiago Caetano, já foi anunciado a abertura da licitação para a construção da nova ponte e do anel viário em julho próximo, além de melhorias na atual nos próximos dias.

Parte dos organizadores durante o ‘adesivaço’ realizado nesta sexta-feria, dia 21.

Também foi informado por outro setor, que a Marinha Brasileira estaria com objeções na construção da nova ponte. O caso está sendo analisado e precisa ser debatido o mais rápido possível pela bancada acreana em Brasília.

“Queremos algumas respostas de nossos representantes, tanto na esfera estadual, quanto federal. Iremos procurar ajudar para que essa nova ponte seja construída o mais rápido possível e nos tire desse atraso o mais rápido possível”, destacou um dos organizadores.

Mais um ‘adesivaço’ com distribuição de panfletos e vendas de camisas, está sendo programado para que busquem mais apoio da população dos dois municípios da fronteria.

Comentários