O Ministério Público vai investigar o caso após denúncia dos alunos que se formaram na primeira turma na faculdade particular

A Promotoria Especializada de Defesa do Consumidor, do Ministério Público do Acre, publicou portaria instaurando inquérito civil para investigar a notícia que de a faculdade Uninorte vem prestando serviço educacionais aos alunos do curso de medicina de péssima qualidade.

O curso de medicina da Uninorte que possui mensalidade de R$ 10,3 mil reais terá de explicar também junto ao Ministério da Educação e Cultura (MEC) a respeito das denúncias que dão conta que a faculdade prestou péssimos serviços aos acadêmicos do curso de medicina, principalmente aos que se graduaram na primeira turma e que se encontram em período de internato.

Segundo levantamento divulgado pelo site Educa Brasil, a Uninorte cobra uma das mensalidades mais caras do Brasil aos acadêmicos de Medicina, ficando atrás somente da Faculdade São Leopoldo Mandic, em São Paulo, que cobra R$ 12,1 mil a mensalidade do curso.

As denúncias de que a faculdade prestou péssimos serviço de ensino partiu dos próprios alunos que procuraram o MPE para denunciar o caso.

Diante das reclamações, a Promotoria Especializada de Defesa do Consumidor, comandada pela promotora Alessandra Garcia Maques, determinou que sejam juntados aos autos todos os que instruem a presente investigação e que já se encontram em poder do Ministério Público; que sejam expedidos convites de comparecimento dirigidos à Uninorte, ao CRM e à Sesacre, para que compareçam ao Ministério Público com a finalidade de tratar dos fatos investigados; que e seja expedido ofício imediatamente ao MEC, a fim de informar todos os fatos relatados ao Ministério Público em relação ao curso de medicina ofertado pela Uninorte.

Comentários