Presidente da ACEBRA, Joaquim Lira quer respostas e cumprimentos de pautas pelo Estado e deputados - Foto: Alexandre Lima
Presidente da ACEBRA, Joaquim Lira quer respostas e cumprimentos de pautas pelo Estado e deputados – Foto: Alexandre Lima

Alexandre Lima

Os comerciantes através da Associação Comercial e Empresarial de Brasiléia e Epitaciolândia – ACEBRA, sob o comando do presidente Joaquim Lira e do Sindicato dos Lojistas de Brasiléia – SINCOBRAS, representado pelo advogado Júnior Revollo, se reuniram da sede do SEBRAE para tratar de assuntos de seus interesses.

Joaquim Lira irá tentar marcar reuniões na Capital com autoridades - Foto: Alexandre Lima
Joaquim Lira irá tentar marcar reuniões na Capital com autoridades – Foto: Alexandre Lima

A pauta em questão, seria o encontro ocorrido no início do mês de dezembro de 2013, quando uma comitiva esteve na Capital e foram recebidos por deputados na Assembleia e pelo governador Sebastião Viana em seu gabinete na Casa Civil.

Após essa reunião, ficou acertado que algumas reivindicações seriam cumpridas, como ICMS junto a Secretaria da Fazenda do Estado, continuação das obras na encosta do Rio Acre em Brasiléia, melhoramento das avenidas Rui Lino, Manoel Marinho Montes e a regularização fundiária, entre outras.

Também estava na pauta de reinvindicação dos comerciantes, a questão da ponte José Augusto que dá acesso ao município e o governador se comprometeu a iniciar a obra no próximo ano, segundo foi dito no sitio institucional do Estado. Dessas pautas, apenas uma foi feita, a do recapeamento asfáltico que já está se deteriorando.

Segundo o presidente da ACEBRA, Joaquim Lira, após os encontros, estão encontrando dificuldades em marcar outras reuniões com os deputados e o Governador. Ficou acertado que outra reunião com os comerciantes irá acontecer para pautar metas a serem cobradas.

Foi cogitado que, caso essas pautas não sejam cumpridas nos próximos meses, medidas mais radicais podem acontecer para que as autoridades possam olhar com mais atenção. Tais medidas tomadas pelos empresários da fronteira, visa melhorar o comércio nas cidades que vem declinando com a alta carga tributária imposta pelo Estado.

Próxima reunião pautas serão definidas para serem cobradas e medidas a serem tomadas - Foto: Alexandre Lima
Próxima reunião pautas serão definidas para serem cobradas e medidas a serem tomadas – Foto: Alexandre Lima

Comentários