O deputado e comerciante Antônio Pedro (DEM) legislou em causa própria e disse na manhã desta quarta-feira (1o), que o governador do Acre, Sebastião Viana (PT), excluiu os comerciantes do debate da prorrogação de prazo para pagamento do ICMS aos contribuintes de Brasileia e Xapuri, municípios castigados pela cheia. Atarvés de decreto, o chefe do executivo prorrogou o pagamento do ICMS de fevereiro e março para os últimos dias de junho e julho.

“O governador se reuniu com sua equipe, mas esqueceu de conversar com os comerciantes. Quem sabe onde o sapato aperta são os comerciantes. Nós pedimos aos nossos colegas deputados que nos ajude para conseguir um parcelamento que o contribuinte possa pagar. Em 120 meses, quem deve R$ 100 mil terá uma parcela de R$ 1 mil – facilitando a vida dos comerciantes”, destaca Antônio Pedro, ao questionar o suposto benefício.

Segundo o deputado que também é comerciante em Xapuri, a medida de Sebastião não beneficia “os endividados comerciantes, que na maioria das vezes, prefere pagar o fornecedor do que o imposto. As micro e pequenas empresas geram mais de 60% de todo emprego no país, além de ser responsável por 20% do PIB. Precisamos de uma relação de mais proximidade nas relações do governo com os pequenos empreendedores”, finaliza Antônio Pedro.

Por Ray Melo – ac24horas

Comentários