Conecte-se conosco

Brasil

Como o estilo de vida ‘saudável’ pode te deixar cansado

Dietas desequilibradas ou muito restritivas podem causar efeito contrário ao esperado, segundo especialistas

Publicado

em

Foto: Mulher após atividade física/Getty Images

Lisa Drayer, da CNN

Deixe-me adivinhar: você está se alimentando de forma saudável, com muitas frutas e vegetais, cortando o consumo de carne e mantendo a alimentação com base em vegetais. Você também cortou pão, biscoitos e o bolo caseiro. Só há um problema: parece que você não consegue ficar acordado e alerta durante o dia.

Superficialmente, esse estilo de vida parece saudável, mas pode incluir alguns comportamentos que, na verdade, estão esgotando sua energia.

“Uma alimentação saudável, às vezes, pode se transformar em algo que não é saudável e drenar sua energia, se você estiver muito restrito”, disse Yasi Ansari, nutricionista e porta-voz da Academia de Nutrição e Dietética.

Aqui estão algumas maneiras pelas quais a chamada dieta “saudável” pode torná-lo mais letárgico – e o que você pode fazer para colocar sua energia de volta nos trilhos.

Cortar muitas calorias

“Se você está tentando perder peso e reduz suas calorias muito drasticamente, isso pode deixá-lo sem a quantidade certa de energia ou combustível de que você precisa para passar o dia”, disse a nutricionista Elizabeth DeRobertis, diretora de nutrição do Centro Scarsdale Medical Group do White Plains Hospital.

Os alimentos fornecem a energia de que você precisa para se manter focado e produtivo ao longo do dia. E embora às vezes as pessoas pensem que para perder peso devem comer o mínimo possível, isso não funciona a longo prazo, disse DeRobertis, criadora do Programa de Perda de Peso GPS, um acompanhamento online de perda de peso individualizado.

Quando alguém a pessoa se torna muito restritiva com sua ingestão de comida, o metabolismo pode ficar lento, e a ela pode se sentir sem energia. “Também acaba sentindo muita fome e comendo demais”, disse DeRobertis.

“Se você está se sentindo sem forças, verifique a quantidade de energia que está ingerindo”, disse a nutricionista Melissa Majumdar, especialista em obesidade e controle de peso. “Comece adicionando mais 30 a 60 gramas de proteína magra, meia xícara de grãos inteiros ou uma colher de sopa de gordura saudável e reanalise.”

Muito tempo sem comer

Ficar muito tempo sem comer também pode causar cansaço. “Algumas pessoas sentem sonolência ou lentidão como um sinal de comer mais, em vez dos sinais tradicionais de fome”, disse Majumdar, que também é coordenadora metabólica e bariátrica do Hospital da Universidade Emory Midtown.

“Se duas ou três horas após uma refeição você estiver com pouca energia, faça um lanche balanceado de fibras e proteínas, como frutas frescas com um punhado de nozes ou um pequeno saquinho de edamame”, sugere.

“Identificar quando seu corpo começa a ficar com fome pode ajudá-lo a entender melhor como ser mais consistente com sua nutrição e seu tempo para garantir que sua energia esteja estável ao longo do dia e que você esteja ajudando seu corpo a atender às suas necessidades”, disse Ansari.

Cortar muitos carboidratos

Ingerir baixo teor de carboidratos também pode fazer você se sentir mal. Comer poucos carboidratos não apenas pode fazer você se sentir cansado e irritado com o baixo nível de açúcar no sangue; também pode levar à desidratação, o que pode causar fadiga.

“Para cada grama de carboidrato armazenado no corpo, há aproximadamente 2 a 3 gramas de água retidos”, explicou DeRobertis. Mas quando alguém reduz sua ingestão de carboidratos muito drasticamente, a água é liberada, e é possível ficar desidratado.

“Quando alguém sente uma queda de energia à tarde, sempre penso em uma planta murcha e precisando de água”, disse DeRobertis. “Ao regarmos a planta, ela se recupera. E eu imagino o que acontece com nossas células quando não estamos bem hidratados o suficiente durante o dia.”

Cortar carboidratos, especialmente biscoitos e guloseimas açucaradas, faz sentido, mas certifique-se de não economizar em carboidratos ricos em fibras, como frutas, vegetais e grãos inteiros.

Dieta vegetariana desequilibrada

Banir as proteínas animais como parte de uma dieta vegetariana não é necessariamente prejudicial à saúde, mas é importante estar consciente de como consumir uma ingestão equilibrada de todos os nutrientes.

“Se alguém escolhe manter uma dieta vegetariana ou vegana, mas não tem o cuidado de obter vitamina B12 e ferro suficientes (de suplementos e fontes vegetais), pode acabar com anemia e uma sensação de fadiga resultante”, explicou DeRobertis.

Alimentos ricos em ferro incluem carne bovina, cereais enriquecidos com ferro, espinafre e feijão. Se você consumir fontes vegetais de ferro, é aconselhável adicionar vitamina C para aumentar a absorção. “Um exemplo pode ser uma salada de espinafre com um pequeno copo de suco de laranja ou uma sopa de lentilha com tomate picado”, disse Ansari.

Os veganos também devem estar cientes de uma possível deficiência de vitamina B12. “A deficiência de B12 pode levar anos para se desenvolver, portanto, suplementar com antecedência se você não comer alimentos de origem animal como carne, peixe, ovos e laticínios é a chave”, disse Majumdar. A levedura nutricional também pode adicionar um pouco de vitamina B12, mas precisa ser ingerida diariamente para fornecer o suficiente, acrescentou Majumdar.

Comer muitos carboidratos

Comer muitos carboidratos de uma vez também pode contribuir para a sensação de lentidão. Mesmo os carboidratos saudáveis se transformam em açúcar no corpo, e nosso pâncreas, em resposta, produz insulina para manter o açúcar no sangue estável.

“Se alguém ingere muitos carboidratos de uma vez – mesmo que sejam carboidratos saudáveis, como arroz integral, feijão, batata doce, macarrão integral ou quinoa – para algumas pessoas, muitos carboidratos podem aumentar o açúcar no sangue, e altos níveis de açúcar no sangue fazem nos sentimos cansados e letárgicos “, disse DeRobertis. (Embora isso aconteça frequentemente entre indivíduos com diabetes, pode acontecer com qualquer pessoa que ingira muitos carboidratos de uma só vez, disse ela.)

Preste atenção em como você se sente após as diferentes combinações de refeições e, se notar que se sente cansado após uma refeição rica em carboidratos, considere separar os carboidratos durante o dia, aconselhou DeRobertis.

Se exercitar muito

O excesso de exercícios também pode fazer você se sentir cansado. “O quanto é demais depende da pessoa, outras demandas em sua vida, níveis de estresse, saúde geral e níveis de condicionamento físico e os tipos de exercícios”, disse Majumdar.

Abastecimento insuficiente para um treino também pode contribuir para a fadiga. “Durante o exercício, o corpo normalmente queima uma combinação de gordura e carboidratos. Se você não está comendo carboidratos suficientes, é mais difícil abastecer o treino. Se esse padrão progredir, os carboidratos armazenados no corpo, chamados de glicogênio, não são reabastecidos”, afirma Majumdar. Isso pode deixar você se sentindo esgotado e frustrado com o seu treino, de acordo com Majumdar.

“Faça um inventário de como você se sente antes e depois das sessões de exercícios e considere adicionar carboidratos ou calorias à sua ingestão, ou reduzir seus exercícios para manter os níveis de energia equilibrados”, disse Majumdar.

Se o exercício está prejudicando a hora de dormir, isso também pode afetar os níveis de energia. Dormir uma quantidade de horas adequada não só fornece energia, mas também ajuda o corpo a reparar ativamente os músculos e tecidos usados durante o exercício, de acordo com Majumdar.

Comentários

Brasil

Covid-19: testes rápidos estão incluidos nos Planos de Saúde

Publicado

em

Teste rápido SWAB Nasal para detecção de Covid-19, UBS 1 – Brasília-DF, 07/01/2021, Fotos: Myke Sena/MS

A medida foi publicada hoje no Diário Oficial da União

Já está em vigor a Resolução Normativa 478, publicada hoje (20) no Diário Oficial da União (DOU) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que inclui os testes rápidos de covid-19 na lista de coberturas obrigatórias para beneficiários de planos de saúde. A inclusão do exame para detecção de antígeno SARS-CoV-2 (coronavírus covid-19) foi aprovada em reunião extraordinária da diretoria colegiada da ANS, realizada na noite de ontem (19).

Segundo informou a ANS, o teste será coberto para os beneficiários de planos de saúde com segmentação ambulatorial, hospitalar ou referência e será feito nos casos em que houver indicação médica, para pacientes com Síndrome Gripal (SG) ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), entre o primeiro e o sétimo dia de início dos sintomas.

A decisão levou em conta a circulação e o rápido crescimento de casos relacionados à nova variante Ômicron, definida como variante de preocupação pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 26 de novembro do ano passado. O diretor-presidente da ANS, Paulo Rebello, avaliou que além de mais acessível e de fornecer resultados mais rápidos, o teste de antígeno “pode ampliar a detecção e acelerar o isolamento, levando a uma redução da disseminação da doença e, por consequência, a uma diminuição da sobrecarga dos serviços laboratoriais. Ao mesmo tempo em que tomamos a decisão responsável de manter o acesso ao padrão ouro de diagnóstico, o RT-PCR”.

A orientação dada pela ANS é que o beneficiário consulte a operadora do seu plano de saúde para informações sobre o local mais adequado para a realização do exame ou para esclarecimento de dúvidas sobre diagnóstico ou tratamento da doença. Lembrou também que a cobertura do tratamento aos pacientes diagnosticados com a covid-19 já é assegurada aos beneficiários de planos de saúde.

Teste

O exame incluído no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS é o “Teste SARS-COV-2 (coronavírus covid-19) – teste rápido para detecção de antígeno”. A ANS reforçou que a cobertura “será obrigatória quando o paciente apresentar Síndrome Gripal (SG) ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), entre o 1° dia e 7° dia desde o início dos sintomas”. A resolução salienta que as solicitações médicas que atendam às condições estabelecidas na Diretriz de Utilização (DUT) devem ser autorizadas de forma imediata.

A agência esclareceu que a Síndrome Gripal (SG) é atribuída ao paciente com quadro respiratório agudo caracterizado por pelo menos dois dos seguintes sinais e sintomas: febre, calafrios, dor de garganta, dor de cabeça, tosse, coriza, distúrbios olfativos ou distúrbios gustativos. Em crianças, além dos sintomas citados, os pais ou responsáveis devem considerar também obstrução nasal, na ausência de outro diagnóstico específico. Em idosos, critérios específicos de agravamento devem ser levados em consideração, entre os quais síncope, confusão mental, sonolência excessiva, irritabilidade e inapetência. Na suspeita de covid-19, a febre pode estar ausente e sintomas gastrointestinais (diarreia) podem estar presentes.

A Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), por sua vez, é atribuída ao paciente com Síndrome Gripal (SG), que também apresente desconforto respiratório ou pressão persistente no tórax, ou ainda saturação de oxigênio menor que 95% em ar ambiente, coloração azulada dos lábios ou rosto. Em crianças, além dos sintomas já mencionados, devem ser observados os batimentos de asa de nariz, cianose (cor azulada ou acinzentada da pele, das unhas, dos lábios ou ao redor dos olhos), tiragem intercostal (retração da musculatura entre as costelas durante a inspiração), desidratação e inapetência.

Estão excluídos da resolução 478 da ANS os contactantes assintomáticos de caso confirmado; crianças com idade igual ou inferior a 24 meses; pessoas que tenham realizado, há menos de 30 dias, RT-PCR ou teste rápido para detecção de antígeno para SARS-CoV-2 cujo resultado tenha sido positivo; indivíduos cuja prescrição objetive rastreamento da doença, retorno ao trabalho, controle de cura ou suspensão de isolamento.

Edição: Valéria Aguiar

Comentários

Continue lendo

Brasil

Saúde antecipa R$ 104 milhões a cidades da Bahia afetadas pelas chuvas

Publicado

em

Portaria antecipando a verba foi assinada pelo ministro Queiroga

Os ministros da Cidadania, João Roma, e da Saúde, Marcelo Queiroga, assinam portaria de apoio aos municípios da Bahia em situação de emergência ou estado de calamidade pública em decorrência das

O Ministério da Saúde oficializou o repasse de R$ 104,6 milhões para a Atenção Primária dos 155 municípios da Bahia que decretaram estado de calamidade pública devido às fortes chuvas, uma verba que está sendo antecipada para o estado. A portaria antecipando o dinheiro foi assinada hoje (19) pelo ministro Marcelo Queiroga. A Atenção Primária é a porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS).

Além do apoio financeiro, desde o início das enchentes, 182 novos profissionais vinculados ao Projeto Mais Médicos para o Brasil (PMMB) iniciaram suas atividades no estado.

O Ministério da Saúde permitiu ainda que os profissionais do PMMB intercalassem a atuação na Unidade Básica de Saúde (UBS) com plantões na rede assistencial do SUS durante o período de emergência. Houve também suspensão temporária dos recessos dos profissionais pelo período de 30 dias. Atualmente, 1.497 profissionais estão atuando na Bahia.

Pelo menos 26 pessoas morreram no estado em decorrência de enchentes e alagamentos, que começaram no final de dezembro e deixaram 30.915 pessoas desabrigadas e 62.731 desalojadas. Em todo o estado 166 municípios foram afetados pelas chuvas, dos quais 154 estão com decreto de situação de emergência.

Veja na íntegra:

 

 

 

Comentários

Continue lendo

Brasil

Auxílio Brasil: Caixa paga hoje famílias cadastradas com NIS final 3

Publicado

em

Programa Auxílio Brasil

Repasse mínimo a cada família é de R$ 400

A Caixa Econômica Federal paga, nesta quinta-feira (20), a terceira parcela do Auxílio Brasil às famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) com Número de Identificação Social (NIS) terminado em 3. Cada família receberá repasse mínimo de R$ 400.

A terceira parcela incluiu 3 milhões de famílias, aumentando para 17,5 milhões o total atendido. De acordo com o Ministério da Cidadania, o investimento total para os pagamentos supera R$ 7,1 bilhões

As parcelas mensais do Auxílio Brasil ficam disponíveis para saque durante 120 dias após a data indicada no calendário.

Confira o calendário:

Final do NIS Dia do pagamento
1 18 de janeiro
2 19 de janeiro
3 20 de janeiro
4 21 de janeiro
5 24 de janeiro
6 25 de janeiro
7 26 de janeiro
8 27 de janeiro
9 28 de janeiro
0 31 de janeiro

Auxílio Gás

O Auxílio Gás também é pago hoje – retroativamente – às famílias cadastradas no CadÚnico, com NIS final 3, e segue o mesmo calendário regular de pagamentos do Auxílio Brasil.

Com duração prevista de cinco anos, o programa beneficiará 5,5 milhões de famílias, até o fim de 2026, com o pagamento de 50% do preço médio do botijão de 13 quilos a cada dois meses. Atualmente, a parcela equivale a R$ 52. Para este ano, o Auxílio Gás tem orçamento de R$ 1,9 bilhão.

Só pode fazer parte do programa quem está incluído no CadÚnico e tenha pelo menos um membro da família que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC).

A lei que criou o programa definiu que a mulher responsável pela família terá preferência, assim como mulheres vítimas de violência doméstica.

Comentários

Continue lendo

Em alta