Eline Damasceno, coordenadora do CAPS do município de Epitaciolândia esclarece informação errônea publicada na última semana por um meio de comunicação local; segundo a coordenadora, a informação repassada é distorcida fora da realidade. Segundo a mesma, a verba que foi bloqueada, se deu por um erro no sistema que alimenta o banco de dados do Ministério da Saúde, as informações foram repassadas, mas o sistema não as computou.

O problema já está sendo resolvido pelo próprio Ministério e logo haverá a resolução do mesmo. Eline também informou, que os valores citados também fogem da verdade a referência do valor real descrita na matéria também é errônea pois se trata somente do mês de novembro de 2018.

O CAPS é um serviço de saúde aberto e comunitário do SUS, local de referência e tratamento para pessoas que sofrem com transtornos mentais, psicoses, neuroses graves e persistentes e demais quadros que justifiquem sua permanência num dispositivo de atenção diária, personalizado e promotor da vida.

Em Epitaciolândia, o Caps possui mais de trezentas pessoas catalogadas e realiza atendimentos psicológicos, médico, psicopedagogo, assistencial, acompanhamento terapêutico, terapia ocupacional além de da dispensação de medicamentos controlados dentre outros; esses tratamentos visam uma  a atenção a pessoas com necessidades relacionadas a transtornos mentais como depressão, ansiedade, esquizofrenia, transtorno afetivo bipolar, transtorno obsessivo-compulsivo etc, e pessoas com quadro de uso nocivo e dependência de substâncias psicoativas, como álcool, cocaína, crack e outras drogas.

 

 

 

 

 

 

 

Comentários