Mais cedo, ministro afirmou que eles seriam liberados ‘nas próximas horas’.
Prisão de torcedores na Bolívia ocorreu após morte de jovem em jogo.

Imagem de fevereiro, quando os doze corintianos ainda estavam presos na Bolívia  (Foto: Ricardo Taves/Globoesporte.com)
Imagem de fevereiro, quando os doze corintianos
ainda estavam presos na Bolívia (Foto: Ricardo
Taves/Globoesporte.com)

Mariana Oliveira – Do G1

O Ministério das Relações Exteriores informou na noite desta quarta-feira (24) que os cinco torcedores corintianos presos na Bolívia há quase cinco meses devem permanecer detidos pelo menos até esta quinta-feira (25). Segundo a assessoria do Itamaraty, a embaixada do Brasil em La Paz retomará os esforços nesta quinta para a libertação dos brasileiros.

No começo da tarde, o ministro Antonio Patriota informou que eles seriam liberados “nas próximas horas” em razão de um acordo feito entre o governo brasileiro e o governo boliviano.

Os torcedores, presos na cidade boliviana de Oruro, foram detidos após a morte do garoto Kevin Espada, de 14 anos, no jogo entre Corinthians e São José pela Taça Libertadores, em fevereiro. Kevin estava na arquibancada,  foi atingido por um sinalizador e não resistiu aos ferimentos.

“De fato, há expectativa de desenlace e libertação nas próximas horas. As providências logísticas para que esses cidadãos possam retornar ao Brasil estão sendo tomadas”, afirmou Patriota nesta tarde.

No último dia  9 de junho, desembarcaram em São Paulo os outros sete corintianos que também estavam presos na Bolívia pelo mesmo motivo.

Ainda nesta quarta, o Ministério da Justiça anunciou um acordo entre a defesa dos torcedores e a Justiça boliviana para liberar os corintianos. O time brasileiro ofereceu o pagamento de US$ 50 mil à família como indenização. A negociação foi viabilizada pela Defensoria Pública da União e pelo Ministério Público do Distrito de Oruro.

Comentários