Corpo de vítima ficou por cerca de 7 horas a espera de peritos da capital - Foto: Alexandre Lima
Corpo de vítima ficou por cerca de 7 horas a espera de peritos da capital – Foto: Alexandre Lima

Alexandre Lima

Um homem com idade entre 30.40 anos, foi encontrado sem vida numa calçada em frente de uma residência, localizada na Avenida Marinho Montes, parte alta de Brasiléia, cidade localizada a 240km da capital acreana, na fronteira com a Bolívia.

Antonio pode ter tido um mal súbito e morreu no meio da avenida - Foto: Alexandre Lima
Antonio pode ter tido um mal súbito e morreu no meio da avenida – Foto: Alexandre Lima

Inicialmente, o homem foi identificado apenas pelo primeiro nome de Antonio, ou apelidos de “Toin” ou “Caolho”, que trabalhava como caseiro na zona rural do Município. Segundo terceiros, era comum ser visto em botecos da cidade ingerindo bebida alcoólica.

Foi apurado no local, que Antonio teria localizado caído no meio da Avenida e foi arrastado para a calçada por desconhecidos durante a madrugada. Se acredita que tenha morrido enquanto dormia, após sofrer um infarto fulminante, caracterizando morte natural.

Preliminarmente, nenhum ferimento ou hematomas foi localizado no corpo do homem, podendo ser descartado o homicídio. Uma moto que foi localizada abandonada nas proximidades, se desconfiava que tenha atropelado Antonio, mas, após verificarem o sistema de vigilância de um comercio local, viram que aconteceu um acidente por volta das 2h20 da madrugada, mas, foi descartado o envolvimento.

Se acredita que Antonio tenha sofrido um súbito e morreu por volta das 5h00 e após comunicaram as autoridades via SIOSP, parte da Avenida foi isolada. Sem uma equipe de peritos criminais na fronteira, o corpo ‘cozinhou’ debaixo de uma lona até aproximadamente do meio-dia, quando uma equipe chegou da Capital para resgatar a vítima.

Transito da avenida foi liberado por volta do meio-dia após chegada de peritos da capital - Foto: Alexandre Lima
Transito da avenida foi liberado por volta do meio-dia após chegada de peritos da capital – Foto: Alexandre Lima

 

Comentários